Huíla quer mais empresários no ramo dos transportes

  • Huila: Transporte colectivo no Lubango
Lubango - A directora do gabinete provincial dos Transportes, Tráfego e Mobilidade Urbana da Huíla, Gracinda Gonçalves, aconselhou, sexta-feira, no Lubango, os empresários a investir mais nos transportes colectivos urbanos, por se afigurar rentável.

A responsável falava durante o III Fórum Provincial dos Transportes da Huíla, que decorreu sobre o tema “O impacto do Sector dos Transportes na Economia Angolana”, afirmou que actualmente o sector  conta  com 40 autocarros, que não respondem à procura, daí que o investimento da classe empresarial é importante.

Lembrou que só o Lubango tem uma necessidade de 75 autocarros, para reduzir a pressão e melhorar a mobilidade dos passageiros.

Por outro lado, Gracinda Gonçalves disse ser a Huíla uma das províncias que mais produz no capítulo da agro-pecuária, pelo que o transporte de carga deve merecer igualmente outra atenção dos investidores, para ajudar a escoar os produtos.

Disse que as autoridades trabalham no sentido de atrair investimentos para o sector, desde os transportes regulares de passageiros, nas carreiras urbanas, inter-provinciais e inter-municipal, assim como de mercadoria, através da disponibilização de terminais de embarque e desembarque de passageiros, de carga e descarga de mercadorias, assim como plataformas logísticas ferroviárias e aéreas.

Por sua vez, o vice-governador para a área técnica e infra-estruturas, Hélio de Almeida, considerou que o triângulo de desenvolvimento urbano pressupõe três itens principais: infra-estrutura, mobilidade e disponibilidade de serviço, sendo que cada um está a ser acompanhado e é preocupação do governo da Huíla, para que se preste melhor serviço.

Durante o fórum foram debatidas temáticas como “A bilhetica Electrónica”, “O impacto do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) nas infra-estruturas viárias”, “Caminhos de Ferro de Moçâmedes (CFM)”, para além de terem sido demonstrados diversos casos de sucesso de empresários ligados ao sector dos transportes.

 

 

A responsável falava durante o III Fórum Provincial dos Transportes da Huíla, que decorreu sobre o tema “O impacto do Sector dos Transportes na Economia Angolana”, afirmou que actualmente o sector  conta  com 40 autocarros, que não respondem à procura, daí que o investimento da classe empresarial é importante.

Lembrou que só o Lubango tem uma necessidade de 75 autocarros, para reduzir a pressão e melhorar a mobilidade dos passageiros.

Por outro lado, Gracinda Gonçalves disse ser a Huíla uma das províncias que mais produz no capítulo da agro-pecuária, pelo que o transporte de carga deve merecer igualmente outra atenção dos investidores, para ajudar a escoar os produtos.

Disse que as autoridades trabalham no sentido de atrair investimentos para o sector, desde os transportes regulares de passageiros, nas carreiras urbanas, inter-provinciais e inter-municipal, assim como de mercadoria, através da disponibilização de terminais de embarque e desembarque de passageiros, de carga e descarga de mercadorias, assim como plataformas logísticas ferroviárias e aéreas.

Por sua vez, o vice-governador para a área técnica e infra-estruturas, Hélio de Almeida, considerou que o triângulo de desenvolvimento urbano pressupõe três itens principais: infra-estrutura, mobilidade e disponibilidade de serviço, sendo que cada um está a ser acompanhado e é preocupação do governo da Huíla, para que se preste melhor serviço.

Durante o fórum foram debatidas temáticas como “A bilhetica Electrónica”, “O impacto do Plano Integrado de Intervenção nos Municípios (PIIM) nas infra-estruturas viárias”, “Caminhos de Ferro de Moçâmedes (CFM)”, para além de terem sido demonstrados diversos casos de sucesso de empresários ligados ao sector dos transportes.