Serviço de Identificação encerrado há uma semana no Ebo

  • Posto de Emissão do BI
Sumbe – O Serviço de Identificação Civil no município do Ebo, província do Cuanza Sul, permanece encerrado há uma semana, devido a um furto de dois computadores e igual número de máquinas fotográficas, soube hoje a Angop.

Instado sobre o assunto, o delegado provincial da Justiça e dos Direitos Humanos no Cuanza Sul, Lino Kupenga, confirmou o ocorrido e fez saber que os dois elementos da guarnição estão detidos para as devidas averiguações.

“Tudo aconteceu na madrugada do dia 11 e o Serviço de Investigação Criminal continua a trabalhar para esclarecer o crime, pelo que aguardamos”, disse.

Lino Kupenga mostrou-se preocupado com dados inseridos nos dois computadores, porque os mesmos não foram enviados para o banco de dados central, com vista à emissão dos bilhetes de identidade.

“Não temos equipamentos para substituir os que foram roubados, por isso os serviços vão permanecer encerrados”, rematou.

De acordo com o responsável do Serviço de Identificação Civil, Mateus Cipriano, os meliantes perpetraram a acção supostamente quando os seguranças ausentaram-se dos seus postos à procura de abrigo enquanto chuviscava.

Fez saber que não foram encontrados quaisquer sinais de arrombamento das portas e janelas.

Segundo a fonte, o Serviço de identificação atende uma média diária de 60 a 80 cidadãos.

Hoje, pelo menos cem cidadãos compareceram ao locas para tratar o bilhete de identidade, idos dos municípios circunvizinhos – Amboim e Quibala, mas sem sucesso.

Instado sobre o assunto, o delegado provincial da Justiça e dos Direitos Humanos no Cuanza Sul, Lino Kupenga, confirmou o ocorrido e fez saber que os dois elementos da guarnição estão detidos para as devidas averiguações.

“Tudo aconteceu na madrugada do dia 11 e o Serviço de Investigação Criminal continua a trabalhar para esclarecer o crime, pelo que aguardamos”, disse.

Lino Kupenga mostrou-se preocupado com dados inseridos nos dois computadores, porque os mesmos não foram enviados para o banco de dados central, com vista à emissão dos bilhetes de identidade.

“Não temos equipamentos para substituir os que foram roubados, por isso os serviços vão permanecer encerrados”, rematou.

De acordo com o responsável do Serviço de Identificação Civil, Mateus Cipriano, os meliantes perpetraram a acção supostamente quando os seguranças ausentaram-se dos seus postos à procura de abrigo enquanto chuviscava.

Fez saber que não foram encontrados quaisquer sinais de arrombamento das portas e janelas.

Segundo a fonte, o Serviço de identificação atende uma média diária de 60 a 80 cidadãos.

Hoje, pelo menos cem cidadãos compareceram ao locas para tratar o bilhete de identidade, idos dos municípios circunvizinhos – Amboim e Quibala, mas sem sucesso.