Polícia recupera 109 armas de fogo em posse de marginais

  • Armas de fogo recolhidas pela PN
Huambo - Cento e nove de armas de fogo que se encontravam em posse de marginais foram recuperadas, este ano, na província do Huambo, pela Polícia Nacional, soube a ANGOP esta quarta-feira.

Segundo o director das Operações da Policial nessa província, superintendente-chefe Carlos Mota, os meios bélicos foram recuperados durante micro-operações de combate à criminalidade, com foco na manutenção da ordem e segurança públicas nos 11 municípios.

Do total de armas, disse, 32 foram usadas pelos marginais no cometimento de assaltos em residências e na via pública.

O oficial superior da Polícia Nacional explicou que, na sequência, foram abertos vários processos-crime por posse ilegal de arma de fogo, visando a responsabilização civil e criminal dos civis que insistem em ter artefactos do género em casa.

Por isso, Carlos Mota reafirmou o compromisso da corporação em continuar a trabalhar na investigação de proximidade, em parceria com a sociedade civil que, nesta tarefa, terá a responsabilidade de denunciar todas as acções que atentam contra a segurança pública.

SIC desmantela rede de supostos marginais  

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) desmantelou, nos últimos três meses, 200 associações criminosas, com a detenção de 255 cidadãos indiciados na prática de crimes de homicídios qualificados, furtos, roubos, ofensas a integridade física, agressão ao ambiente, posse, uso e tráfego de estupefaciente (liamba e cocaína), danos e burla qualificada, abuso sexual com penetração, uso e abuso de cartão de debito e incêndios.

Em declarações à imprensa, o porta-voz do SIC nesta província disse que estes crimes foram cometidos na via pública, em residências e em estabelecimentos comerciais dos municípios do Huambo, Caála, Bailundo, Mungo, Cachiungo, Ecunha e Londuimbali.

Aos supostos marginais, disse, foi-lhes retirado 24 carregadores, 109 munições, 28 viaturas de marcas diversas, 10 motorizadas, três televisores de marcas diversas, igual número de cadeiras de escritório, sete motores de diversas motorizadas, 22,686 quilos de liamba, cocaína, 11 catanas, um serrote, duas facas, um garrafão vazio, igual número de enxada e muleta.

Constam ainda duas mochilas, 217 mil Kwanzas, um colchão, três botijas de gás butano de 12 quilos, um descodificador, quatro cadeiras plásticas, uma pasta contendo vários cartões multi-caixas, uma garrafa que se presume ser de mercúrio, pedras de diamante e urânio falsos, 10 gramas de suposto ouro, cabos eléctricos, além de escadote, fogão, descodificadores, termómetros, computadores portáteis, entre outros.

Esta província, localizada no Planalto Central de Angola, tem uma população estimada em mais de dois milhões e 500 mil habitantes, distribuídos pelos municípios do Bailundo, Caála, Cachiungo, Chicala-Cholohanga, Chinjenje, Ecunha, Huambo, Londuimbali, Longonjo, Mungo e Ucuma.

Segundo o director das Operações da Policial nessa província, superintendente-chefe Carlos Mota, os meios bélicos foram recuperados durante micro-operações de combate à criminalidade, com foco na manutenção da ordem e segurança públicas nos 11 municípios.

Do total de armas, disse, 32 foram usadas pelos marginais no cometimento de assaltos em residências e na via pública.

O oficial superior da Polícia Nacional explicou que, na sequência, foram abertos vários processos-crime por posse ilegal de arma de fogo, visando a responsabilização civil e criminal dos civis que insistem em ter artefactos do género em casa.

Por isso, Carlos Mota reafirmou o compromisso da corporação em continuar a trabalhar na investigação de proximidade, em parceria com a sociedade civil que, nesta tarefa, terá a responsabilidade de denunciar todas as acções que atentam contra a segurança pública.

SIC desmantela rede de supostos marginais  

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) desmantelou, nos últimos três meses, 200 associações criminosas, com a detenção de 255 cidadãos indiciados na prática de crimes de homicídios qualificados, furtos, roubos, ofensas a integridade física, agressão ao ambiente, posse, uso e tráfego de estupefaciente (liamba e cocaína), danos e burla qualificada, abuso sexual com penetração, uso e abuso de cartão de debito e incêndios.

Em declarações à imprensa, o porta-voz do SIC nesta província disse que estes crimes foram cometidos na via pública, em residências e em estabelecimentos comerciais dos municípios do Huambo, Caála, Bailundo, Mungo, Cachiungo, Ecunha e Londuimbali.

Aos supostos marginais, disse, foi-lhes retirado 24 carregadores, 109 munições, 28 viaturas de marcas diversas, 10 motorizadas, três televisores de marcas diversas, igual número de cadeiras de escritório, sete motores de diversas motorizadas, 22,686 quilos de liamba, cocaína, 11 catanas, um serrote, duas facas, um garrafão vazio, igual número de enxada e muleta.

Constam ainda duas mochilas, 217 mil Kwanzas, um colchão, três botijas de gás butano de 12 quilos, um descodificador, quatro cadeiras plásticas, uma pasta contendo vários cartões multi-caixas, uma garrafa que se presume ser de mercúrio, pedras de diamante e urânio falsos, 10 gramas de suposto ouro, cabos eléctricos, além de escadote, fogão, descodificadores, termómetros, computadores portáteis, entre outros.

Esta província, localizada no Planalto Central de Angola, tem uma população estimada em mais de dois milhões e 500 mil habitantes, distribuídos pelos municípios do Bailundo, Caála, Cachiungo, Chicala-Cholohanga, Chinjenje, Ecunha, Huambo, Londuimbali, Longonjo, Mungo e Ucuma.