Polícia impede saque de camião com trigo acidentado na EN100

Catumbela – A pronta intervenção da Polícia Nacional impediu o assalto a um camião que capotou, esta quinta-feira, com mais de 26 toneladas de trigo a granel (Bigs Bags), no troço Lobito/Benguela, da Estrada Nacional EN100.

O camião, que tombou depois  do motorista tentar  fugir de duas mulheres que recolhiam grãos de trigo no separador da estrada, tinha como destino o complexo industrial Leonor Carrinho, no bairro da Taka, arredores da cidade de Benguela.

Os recipientes grandes contendo trigo espalhado no asfalto, chamados de Big Bags, atraíram considerável presença no local de moradores dos bairros do Gama, Pedreira, Vimbalambi, Quilómetro 27, Damba-Maria, Taka, Catumbela Praia, entre outros, que pretendiam saquear o produto, mas a acção policial evitou a acção.

Apesar das medidas de segurança, houve quem tivesse conseguido levar algum trigo para casa, sobretudo nos primeiros minutos que antecederam à chegada dos agentes da ordem pública onde o camião capotou, deixando muita mercadoria espalhada na estrada e berma.

Em declarações à ANGOP, o inspector-chefe da Polícia Nacional e porta-voz do comando provincial de Benguela, Ernesto Chiwale, destacou que os agentes montaram na zona um forte cordão de segurança para afugentar os populares que queriam assaltar o trigo.

Segundo o oficial da corporação, os cidadãos se preparavam para saquear o trigo, mas a polícia agiu de forma precisa, evitando o assalto da mercadoria e garantindo a protecção do motorista que transportava o produto desde o Porto do Lobito.

“A polícia foi rápida e conseguiu evitar mais um registo de assalto a um camião em Benguela”, frisou o inspector-chefe Ernesto Chiwale, garantindo que a polícia vai continuar a apertar o cerco aos cidadãos que tentam criar o caos e insegurança aos camiões que transportam bens alimentares na Estrada Nacional EN100. 

Nos últimos tempos têm sido registados vários assaltos a camiões com produtos alimentares, principalmente do grupo Leonor Carrinho e da companhia Angoalissar, uma das maiores importadoras do país.

Em muitas ocasiões, os cidadãos sobem os reboques dos veículos em circulação e, com recurso a facas, cortam as lonas de proteção da carga deixando cair na estrada sacos, normalmente de arroz, açúcar ou trigo.

Em Setembro, por exemplo, um camião com inúmeras toneladas de arroz na cidade do Lobito foi assaltado, após avariar, tendo desaparecido 556 sacos, com imagens que se tornaram virais nas redes sociais.

O camião, que tombou depois  do motorista tentar  fugir de duas mulheres que recolhiam grãos de trigo no separador da estrada, tinha como destino o complexo industrial Leonor Carrinho, no bairro da Taka, arredores da cidade de Benguela.

Os recipientes grandes contendo trigo espalhado no asfalto, chamados de Big Bags, atraíram considerável presença no local de moradores dos bairros do Gama, Pedreira, Vimbalambi, Quilómetro 27, Damba-Maria, Taka, Catumbela Praia, entre outros, que pretendiam saquear o produto, mas a acção policial evitou a acção.

Apesar das medidas de segurança, houve quem tivesse conseguido levar algum trigo para casa, sobretudo nos primeiros minutos que antecederam à chegada dos agentes da ordem pública onde o camião capotou, deixando muita mercadoria espalhada na estrada e berma.

Em declarações à ANGOP, o inspector-chefe da Polícia Nacional e porta-voz do comando provincial de Benguela, Ernesto Chiwale, destacou que os agentes montaram na zona um forte cordão de segurança para afugentar os populares que queriam assaltar o trigo.

Segundo o oficial da corporação, os cidadãos se preparavam para saquear o trigo, mas a polícia agiu de forma precisa, evitando o assalto da mercadoria e garantindo a protecção do motorista que transportava o produto desde o Porto do Lobito.

“A polícia foi rápida e conseguiu evitar mais um registo de assalto a um camião em Benguela”, frisou o inspector-chefe Ernesto Chiwale, garantindo que a polícia vai continuar a apertar o cerco aos cidadãos que tentam criar o caos e insegurança aos camiões que transportam bens alimentares na Estrada Nacional EN100. 

Nos últimos tempos têm sido registados vários assaltos a camiões com produtos alimentares, principalmente do grupo Leonor Carrinho e da companhia Angoalissar, uma das maiores importadoras do país.

Em muitas ocasiões, os cidadãos sobem os reboques dos veículos em circulação e, com recurso a facas, cortam as lonas de proteção da carga deixando cair na estrada sacos, normalmente de arroz, açúcar ou trigo.

Em Setembro, por exemplo, um camião com inúmeras toneladas de arroz na cidade do Lobito foi assaltado, após avariar, tendo desaparecido 556 sacos, com imagens que se tornaram virais nas redes sociais.