Bié regista 452 casos de violência no género

Nharea - Quatrocentos e cinquenta e dois casos de violência no género foram registados de Janeiro a Junho de 2021, na província do Bié, mais 20 em comparação ao período anterior.

Dos casos, constam 29 de abuso sexual.

Os dados foram avançados hoje pela directora do Gabinete Provincial da Acção Social e Igualdade do Género, Deolinda Belvina Gonçalves, no acto central local em saudação ao Dia da Mulher Africana, realizado na sede municipal da Nharea, 175 quilómetros a Norte do Cuito, província do Bié.

Para si, a mulher precisa ajudar os seus parceiros, na harmonização dos lares e das famílias, evitando comportamentos reprováveis.

Apelou, no entanto, às mulheres no sentido de promoverem a cultura da paz, diálogo, assim como apoiar os programas do governo, executados em prol as comunidades.

Mulheres ganham formação profissional na Nharea

Mais de mil mulheres associadas e de famílias vulneráveis beneficiaram de formação sócio profissional, este ano, no município da Nharea, na província do Bié.

As mulheres foram formados em corte e costura, empreendedorismo, fabrico de sabão caseiro, alfabetização, através das escolas de campo, assistência de partos e cuidados primários de saúde.

A administradora municipal da Nharea, Maria Lúcia Chicapa, informou que acções do género vão continuar no município.

O município da Nharea tem uma população estimada em 155 mil 524 habitantes, maioritariamente camponesa.

Ainda no âmbito da efeméride, a Organização da Mulher Angolana (OMA) na província do Bié promoveu hoje, na cidade do Cuito, uma feira com mais de cem mulheres empreendedora.

A feira, que decorreu no "Jardim Espelho da Água", permitiu com que as mulheres colocassem expostos produtos como roupas, calçados, comésticos, diversos produtos agrícolas, utensílios de cozinha, entre outros.

Para a empreendedora Emiliana Cassinda, a realização desse evento deve ser contínua e extensiva para os nove municípios da província do Bié, de modo a estimular as mulheres a enveredarem pelo auto-negócio.

Solicita ainda à necessidade do Governo criar mais oportunidades de negócios, assim como promover acções formativas consubstanciadas ao fomento do empreendedorismo na província.

O dia da Mulher Africana foi instituído a 31 de Julho de 1962, em Dar-Es-Salaan (Tanzânia), por 14 países e oito Movimentos de Libertação Nacional.

Dos casos, constam 29 de abuso sexual.

Os dados foram avançados hoje pela directora do Gabinete Provincial da Acção Social e Igualdade do Género, Deolinda Belvina Gonçalves, no acto central local em saudação ao Dia da Mulher Africana, realizado na sede municipal da Nharea, 175 quilómetros a Norte do Cuito, província do Bié.

Para si, a mulher precisa ajudar os seus parceiros, na harmonização dos lares e das famílias, evitando comportamentos reprováveis.

Apelou, no entanto, às mulheres no sentido de promoverem a cultura da paz, diálogo, assim como apoiar os programas do governo, executados em prol as comunidades.

Mulheres ganham formação profissional na Nharea

Mais de mil mulheres associadas e de famílias vulneráveis beneficiaram de formação sócio profissional, este ano, no município da Nharea, na província do Bié.

As mulheres foram formados em corte e costura, empreendedorismo, fabrico de sabão caseiro, alfabetização, através das escolas de campo, assistência de partos e cuidados primários de saúde.

A administradora municipal da Nharea, Maria Lúcia Chicapa, informou que acções do género vão continuar no município.

O município da Nharea tem uma população estimada em 155 mil 524 habitantes, maioritariamente camponesa.

Ainda no âmbito da efeméride, a Organização da Mulher Angolana (OMA) na província do Bié promoveu hoje, na cidade do Cuito, uma feira com mais de cem mulheres empreendedora.

A feira, que decorreu no "Jardim Espelho da Água", permitiu com que as mulheres colocassem expostos produtos como roupas, calçados, comésticos, diversos produtos agrícolas, utensílios de cozinha, entre outros.

Para a empreendedora Emiliana Cassinda, a realização desse evento deve ser contínua e extensiva para os nove municípios da província do Bié, de modo a estimular as mulheres a enveredarem pelo auto-negócio.

Solicita ainda à necessidade do Governo criar mais oportunidades de negócios, assim como promover acções formativas consubstanciadas ao fomento do empreendedorismo na província.

O dia da Mulher Africana foi instituído a 31 de Julho de 1962, em Dar-Es-Salaan (Tanzânia), por 14 países e oito Movimentos de Libertação Nacional.