Dom Mbilingi elogia governo pela disponibilidade de vacinas

  • Dom Gabriel Mbilingi, Arcebispo do Lubango, recebe primera dose da vacina contra Covid-19
Lubango – O esforço do governo em adquirir vacinas contra a Covid-19 deve servir de incentivo aos angolanos a aderirem em massa a vacinação, afirmou, esta quarta-feira, no Lubango, o Arcebispo local, Dom Gabriel Mbilingi.

O prelado fez o apelo após ter apanhado a primeira dose da vacina Pfizer, enaltecendo o empenho das autoridades angolanas em todo o processo, factor que tem amenizado a situação da pandemia.

Considerou que o combate à Covid-19 exige o envolvimento de todos os angolanos, a começar pela protecção pessoal para evitar que sejam potenciais transmissores, tendo reconhecido que a inoculação é actualmente a forma mais segura de prevenção e tem a vantagem de ser gratuita.

Alertou as pessoas que ainda hesitam em apanhar a vacina a não fazê-lo, pois é necessária para a protecção individual e de grupo.

Questionado sobre a razão de só agora estar a tomar a vacina, justificou que foi por recomendação médica, devido a problemas de saúde, já ultrapassados.

“Existe uma grande preocupação para encontrar a cura e os estudos, por mais avançados que estejam, ainda não foram publicados os resultados, mas está comprovado que o uso da máscara facial correctamente, a lavagem frequente das mãos e o distanciamento físico são algumas das medidas básicas para a prevenção da Covid-19”, recordou Dom Gabriel Mbilingi.

O prelado fez o apelo após ter apanhado a primeira dose da vacina Pfizer, enaltecendo o empenho das autoridades angolanas em todo o processo, factor que tem amenizado a situação da pandemia.

Considerou que o combate à Covid-19 exige o envolvimento de todos os angolanos, a começar pela protecção pessoal para evitar que sejam potenciais transmissores, tendo reconhecido que a inoculação é actualmente a forma mais segura de prevenção e tem a vantagem de ser gratuita.

Alertou as pessoas que ainda hesitam em apanhar a vacina a não fazê-lo, pois é necessária para a protecção individual e de grupo.

Questionado sobre a razão de só agora estar a tomar a vacina, justificou que foi por recomendação médica, devido a problemas de saúde, já ultrapassados.

“Existe uma grande preocupação para encontrar a cura e os estudos, por mais avançados que estejam, ainda não foram publicados os resultados, mas está comprovado que o uso da máscara facial correctamente, a lavagem frequente das mãos e o distanciamento físico são algumas das medidas básicas para a prevenção da Covid-19”, recordou Dom Gabriel Mbilingi.