Município da Quiçama com Comité dos Direitos Humanos

Luanda - O município da Quiçama, em Luanda, conta a partir desta quarta-feira com o Comité Local dos Direitos Humanos que tem como objectivo criar políticas de sensibilização e mobilização dos munícipes para que tenham participação e contribuam nas tarefas de cidadania e boa governação.

O Comité, com 15 membros, tem também como propósito promover, defender e proteger os direitos dos cidadãos que tenham sido violados na circunscrição e desenvolver políticas locais que garantam a defesa jurídica e liberdade de expressão da população.

Outra finalidade do Comité Local dos Direitos humano é a 
promoção na área educacional em matérias de direitos humanos com envolvência directa das instituições de ensino, públicas e privadas.

Para o administrador municipal da Quiçama António Fiel,  que falava no acto presidido pelo Delegado Provincial de Luanda dos Direitos Humanos, Fernando Fortes, estão criadas as condições no município e os membros empossados vão trabalhar para dar resposta as responsabilidades impostas pelo Comité Local dos Direitos Humanos. 

Segundo o responsável, a  criação do Comité Local dos Direitos Humanos estabelece relações saudáveis de trabalho com todos os actores sociais e instituições que  promovam a defesa e protecção dos direitos humanos. 
 
Os membros foram informados sobre a expansão e a importância do Comité Local dos Direitos Humanos em Angola e os desafios para o município da Quiçama.  

Os cidadãos do Comité pertencem a diversas instituições públicas do Estado, Igrejas e sociedade civil e vão trabalhar a título gratuito.

O Comité, com 15 membros, tem também como propósito promover, defender e proteger os direitos dos cidadãos que tenham sido violados na circunscrição e desenvolver políticas locais que garantam a defesa jurídica e liberdade de expressão da população.

Outra finalidade do Comité Local dos Direitos humano é a 
promoção na área educacional em matérias de direitos humanos com envolvência directa das instituições de ensino, públicas e privadas.

Para o administrador municipal da Quiçama António Fiel,  que falava no acto presidido pelo Delegado Provincial de Luanda dos Direitos Humanos, Fernando Fortes, estão criadas as condições no município e os membros empossados vão trabalhar para dar resposta as responsabilidades impostas pelo Comité Local dos Direitos Humanos. 

Segundo o responsável, a  criação do Comité Local dos Direitos Humanos estabelece relações saudáveis de trabalho com todos os actores sociais e instituições que  promovam a defesa e protecção dos direitos humanos. 
 
Os membros foram informados sobre a expansão e a importância do Comité Local dos Direitos Humanos em Angola e os desafios para o município da Quiçama.  

Os cidadãos do Comité pertencem a diversas instituições públicas do Estado, Igrejas e sociedade civil e vão trabalhar a título gratuito.