Navio-escola da Marinha do Brasil colide com passarela em porto do Equador

Moscovo - Um navio-escola da Marinha do Brasil colidiu, nesta segunda-feira, contra uma passarela que cruza o rio Guayas, no porto de Guayaquil.

O acidente ocorreu quando o veleiro Cisne Branco perdeu o controlo e colidiu, provocando a activação dos protocolos de emergência.

Durante o acidente, um rebocador da Marinha do Equador tentou ajudar na manobra de desatracação, porém acabou afundando.

O capitão do Porto de Guayaquil, comandante Danilo Espinoza, coordenou os trabalhos de apoio para evitar uma possível contaminação do rio.

Além disso, mergulhadores da Infantaria de Marinha interviram para realizar as manobras de resgate do rebocador.

A Marinha do Equador comunicou que ninguém ficou ferido, contudo, será iniciada uma investigação administrativa para apurar as causas do acidente.

Por outro lado, a Marinha equatoriana ratificou que prestará a "assistência necessária para a unidade e tripulação do veleiro" do Brasil após a transferência para o cais do Yacht Club.

O acidente ocorreu quando o veleiro Cisne Branco perdeu o controlo e colidiu, provocando a activação dos protocolos de emergência.

Durante o acidente, um rebocador da Marinha do Equador tentou ajudar na manobra de desatracação, porém acabou afundando.

O capitão do Porto de Guayaquil, comandante Danilo Espinoza, coordenou os trabalhos de apoio para evitar uma possível contaminação do rio.

Além disso, mergulhadores da Infantaria de Marinha interviram para realizar as manobras de resgate do rebocador.

A Marinha do Equador comunicou que ninguém ficou ferido, contudo, será iniciada uma investigação administrativa para apurar as causas do acidente.

Por outro lado, a Marinha equatoriana ratificou que prestará a "assistência necessária para a unidade e tripulação do veleiro" do Brasil após a transferência para o cais do Yacht Club.