Covid-19: Síntese mundial

  • Dístico do Covid-19 Novo Coronavírus
Paris - A pandemia de Covid-19 matou, até hoje (quinta-feira), pelo menos 4.715.909 pessoas no mundo desde o final de Dezembro de 2019, segundo um levantamento realizado pela agência de notícias francesa AFP com base em fontes oficiais.

Mais de 230.024.390 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.

Os números são baseados em relatórios diários realizados pelas autoridades de saúde de cada país e excluem revisões posteriores de agências estatísticas, como ocorre na Rússia, Espanha e Reino Unido.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estimou que, levando em consideração o excesso de mortalidade directa e indirectamente ligada à Covid-19, os resultados da pandemia podem ser duas a três vezes superiores aos registados oficialmente.

Na quarta-feira, 9.802 mortes e 515.197 novos casos foram registados em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de mortes nos seus levantamentos mais recentes são os Estados Unidos, com 2.714 novas mortes, o Brasil (876) e a Rússia (820).

Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 681.185 mortes para 42.543.365 casos, de acordo com o levantamento realizado pela Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil, com 592.316 mortos e 21.283.567 casos, a Índia, com 446.050 mortos (33.563.421 casos), o México, com 273.391 mortos (3.597.168 casos) e a Rússia, com 201.445 mortos (7.354.995 casos).

Entre os países mais atingidos, o Peru é o que tem o maior número de mortes em relação à sua população, com 604 mortes por cada 100.000 habitantes, seguido pela Bósnia-Herzegovina (316), Macedónia do Norte (313), Hungria (312), Montenegro (298) e Bulgária (291).

A América Latina e as Caraíbas totalizaram hoje 1.478.016 mortes para 44.571.529 casos, a Europa 1.295.187 mortes (66.590.721 casos), a Ásia 829.338 mortes (53.202.700 casos), os Estados Unidos e Canadá 708.686 mortes (44.130.365 casos), a África 207.173 mortes (8.198.199 casos), o Médio Oriente 195.505 mortes (13.167.368 casos) e a Oceânia 2.004 mortes (163.511 casos).

Desde o início da pandemia, o número de testes realizados aumentou substancialmente e as técnicas de rastreio e despistagem melhoraram, levando a um aumento do número dos contágios declarados.

O número de casos diagnosticados, no entanto, reflecte apenas uma fracção do total real dos contágios, com uma proporção significativa dos casos menos graves ou assintomáticos a não serem detectados.

 

 

Mais de 230.024.390 casos de infecção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.

Os números são baseados em relatórios diários realizados pelas autoridades de saúde de cada país e excluem revisões posteriores de agências estatísticas, como ocorre na Rússia, Espanha e Reino Unido.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) estimou que, levando em consideração o excesso de mortalidade directa e indirectamente ligada à Covid-19, os resultados da pandemia podem ser duas a três vezes superiores aos registados oficialmente.

Na quarta-feira, 9.802 mortes e 515.197 novos casos foram registados em todo o mundo.

Os países que registaram o maior número de mortes nos seus levantamentos mais recentes são os Estados Unidos, com 2.714 novas mortes, o Brasil (876) e a Rússia (820).

Os Estados Unidos são o país mais afectado em termos de mortes e casos, com 681.185 mortes para 42.543.365 casos, de acordo com o levantamento realizado pela Universidade Johns Hopkins.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afectados são o Brasil, com 592.316 mortos e 21.283.567 casos, a Índia, com 446.050 mortos (33.563.421 casos), o México, com 273.391 mortos (3.597.168 casos) e a Rússia, com 201.445 mortos (7.354.995 casos).

Entre os países mais atingidos, o Peru é o que tem o maior número de mortes em relação à sua população, com 604 mortes por cada 100.000 habitantes, seguido pela Bósnia-Herzegovina (316), Macedónia do Norte (313), Hungria (312), Montenegro (298) e Bulgária (291).

A América Latina e as Caraíbas totalizaram hoje 1.478.016 mortes para 44.571.529 casos, a Europa 1.295.187 mortes (66.590.721 casos), a Ásia 829.338 mortes (53.202.700 casos), os Estados Unidos e Canadá 708.686 mortes (44.130.365 casos), a África 207.173 mortes (8.198.199 casos), o Médio Oriente 195.505 mortes (13.167.368 casos) e a Oceânia 2.004 mortes (163.511 casos).

Desde o início da pandemia, o número de testes realizados aumentou substancialmente e as técnicas de rastreio e despistagem melhoraram, levando a um aumento do número dos contágios declarados.

O número de casos diagnosticados, no entanto, reflecte apenas uma fracção do total real dos contágios, com uma proporção significativa dos casos menos graves ou assintomáticos a não serem detectados.