Homenageados antigos administradores de Mbanza Kongo

  • Exposição assinalou quarto aniversário da inscrição de Mbanza Kongo a Património Mundial
Mbanza Kongo - Os antigos administradores do município de Mbanza Kongo, província do Zaire, foram homenageados numa gala, realizada sexta-feira.

A gala, que homenageou os administradores em vida e a título póstumo, encerrou as actividades comemorativas do quarto aniversário da inscrição do centro histórico de Mbanza Kongo, a Património da Humanidade, assinalado a 8 do corrente mês.

Entre os homenageados, destacou-se José Aníbal Lopes Rocha, que foi o primeiro comissário (administrador) da capital da província do Zaire, logo após a independência nacional, sucedendo o então presidente da câmara municipal, Sebastião do Espírito Santo, da administração colonial portuguesa.

Em breves palavras, após receber um galardão e um certificado de mérito, pela sua contribuição na edificação do município, José Aníbal Rocha recordou a sua trajectória política, iniciada com 22 anos de idade, em Mbanza Kongo.

Aníbal Rocha, que também exerceu o cargo de governador em algumas províncias de Angola, disse que aprendeu a ser patriota e bom cidadão, a partir de Mbanza Kongo, onde trabalhou largos anos, até ser catapultado para as esferas centrais do Estado.

Natural do Uíge, José Aníbal Lopes Rocha foi também comissário provincial (governador) do Zaire, de 1988 a 1991, do Uíge (1991 a 1994), de Luanda (1997 a 2002) e de Cabinda (2002 a 2009), assim como ministro da Administração do Território, de 1994 a 1997.

Outro homenageado, a título póstumo, foi Manuel Cristóvão Paciência, falecido, em 2007, vítima de acidente de aviação, na pista do aeroporto de Mbanza Kongo, envolvendo uma aeronave da TAAG.

No total, foram homenageados 13 antigos administradores municipais de Mbanza Kongo, dos quais duas mulheres, que deram a sua nobre contribuição para o engrandecimento da localidade, que é Património Cultural da Humanidade, desde 8 de Julho de 2017.

Na cerimónia, testemunhada pela vice-governadora provincial para o sector Político, Económico e Social, Fernanda Sumbo Guerra, foram homenageadas também algumas figuras da imprensa e da sociedade civil.

Desfile de moda e actuação de uma banda musical de jovens locais, que entoou o hino “ Minha Terra”, dedicado exclusivamente ao evento, marcaram a cerimónia, que decorreu no anfiteatro do segundo edifício do governo provincial.

O município de Mbanza Kongo situa‐se no topo do planalto de Tôtila, que possui muitas encostas escarpadas, onde está a sede municipal numa elevação com cerca de cinco quilómetros quadrados, a cerca de 520 metros de altura, em relação ao nível do mar e o seu planalto divide as bacias dos rios Mpozo e Luezi.

O município tem seis comunas, nomeadamente Mbanza Kongo (sede), Kaluca, Kalambata, Nkiende, Luvo e Madimba, com uma população estimada em 180 mil habitantes.

A gala, que homenageou os administradores em vida e a título póstumo, encerrou as actividades comemorativas do quarto aniversário da inscrição do centro histórico de Mbanza Kongo, a Património da Humanidade, assinalado a 8 do corrente mês.

Entre os homenageados, destacou-se José Aníbal Lopes Rocha, que foi o primeiro comissário (administrador) da capital da província do Zaire, logo após a independência nacional, sucedendo o então presidente da câmara municipal, Sebastião do Espírito Santo, da administração colonial portuguesa.

Em breves palavras, após receber um galardão e um certificado de mérito, pela sua contribuição na edificação do município, José Aníbal Rocha recordou a sua trajectória política, iniciada com 22 anos de idade, em Mbanza Kongo.

Aníbal Rocha, que também exerceu o cargo de governador em algumas províncias de Angola, disse que aprendeu a ser patriota e bom cidadão, a partir de Mbanza Kongo, onde trabalhou largos anos, até ser catapultado para as esferas centrais do Estado.

Natural do Uíge, José Aníbal Lopes Rocha foi também comissário provincial (governador) do Zaire, de 1988 a 1991, do Uíge (1991 a 1994), de Luanda (1997 a 2002) e de Cabinda (2002 a 2009), assim como ministro da Administração do Território, de 1994 a 1997.

Outro homenageado, a título póstumo, foi Manuel Cristóvão Paciência, falecido, em 2007, vítima de acidente de aviação, na pista do aeroporto de Mbanza Kongo, envolvendo uma aeronave da TAAG.

No total, foram homenageados 13 antigos administradores municipais de Mbanza Kongo, dos quais duas mulheres, que deram a sua nobre contribuição para o engrandecimento da localidade, que é Património Cultural da Humanidade, desde 8 de Julho de 2017.

Na cerimónia, testemunhada pela vice-governadora provincial para o sector Político, Económico e Social, Fernanda Sumbo Guerra, foram homenageadas também algumas figuras da imprensa e da sociedade civil.

Desfile de moda e actuação de uma banda musical de jovens locais, que entoou o hino “ Minha Terra”, dedicado exclusivamente ao evento, marcaram a cerimónia, que decorreu no anfiteatro do segundo edifício do governo provincial.

O município de Mbanza Kongo situa‐se no topo do planalto de Tôtila, que possui muitas encostas escarpadas, onde está a sede municipal numa elevação com cerca de cinco quilómetros quadrados, a cerca de 520 metros de altura, em relação ao nível do mar e o seu planalto divide as bacias dos rios Mpozo e Luezi.

O município tem seis comunas, nomeadamente Mbanza Kongo (sede), Kaluca, Kalambata, Nkiende, Luvo e Madimba, com uma população estimada em 180 mil habitantes.