Mobbers, Gerilson Insrael e Deusa do Pânico dominam Angola Music Awards

  • Paulo Flores entre os premiados na gala do AMA
Luanda - Com dois troféus cada, Os Mobbers, Gerilson Insrael e Deusa do Pânico dominaram, na noite de sexta-feira, a gala de premiação do Angola Music Awards (AMA), edição 2021.

Os Mobbers ficaram com troféus nas categorias de Melhor Grupo e Rap Hip Hop, enquanto Gerilson Insrael ficou com os prémios de Música Mais Popular e Melhor Artista Masculino.

Já a kudurista Deusa do Pânico conquistou as categorias de Artista Mais Popular da Internet e Novo Talento.

A edição deste ano ficou marcada com a introdução da categoria de Melhor Vídeo Clip, ganha por Titica e Uami Ndongadas "Xucalho", produzido por Krisnano dos Santos.

Entre os vencedores estão ainda Paulo Flores e Prodígio (Melhor álbum), Utanga Mina (Melhor Afro-house) e a dupla Liriane e Caiser com o prémio de Melhor Artista Digital, com a música “Amor do Gueto".

Prodígio (Melhor Artista em Palco), Ana Joice (Melhor Artista Feminino), Suarito (Artista Revelação), Edgar Domingos (Melhor Ghetto Zouk) e DJ Hélio Baiano (Melhor Colaboração) integram, igualmente a lista dos premiados da noite.

Na categoria Melhor Gospel, o prémio foi atribuído a Miguel Buila, Melhor Kizomba - pele negra " C4 Pedro, Melhor Kuduro - Noite e Dia, Melhor Música Tradicional- Baló Januário, Lavinci como Melhor Produtor Musical e Melhor R&B/Soul para Sidjey.

Na categoria Melhor Semba, Mwangolé de Adelasio conquistou o troféu, Melhor World Music para Cheketela, Lutonda como o Melhor DJ,  enquanto Os Calema e Soraya Ramos ficaram com o prémio de Melhor  Música PALOP.

Nesta oitava edição, o homenageado foi o Dj Paulo Alves, pelo seu contributo em prol da cultura angolana.

De acordo com o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, a premiação é motivadora e enriquece a cultura nacional.

Para o governante, é fundamental encontrar soluções criativas ligadas às dinâmicas culturais, teatrais, cinematográficas, bem como a dança.

Os Mobbers ficaram com troféus nas categorias de Melhor Grupo e Rap Hip Hop, enquanto Gerilson Insrael ficou com os prémios de Música Mais Popular e Melhor Artista Masculino.

Já a kudurista Deusa do Pânico conquistou as categorias de Artista Mais Popular da Internet e Novo Talento.

A edição deste ano ficou marcada com a introdução da categoria de Melhor Vídeo Clip, ganha por Titica e Uami Ndongadas "Xucalho", produzido por Krisnano dos Santos.

Entre os vencedores estão ainda Paulo Flores e Prodígio (Melhor álbum), Utanga Mina (Melhor Afro-house) e a dupla Liriane e Caiser com o prémio de Melhor Artista Digital, com a música “Amor do Gueto".

Prodígio (Melhor Artista em Palco), Ana Joice (Melhor Artista Feminino), Suarito (Artista Revelação), Edgar Domingos (Melhor Ghetto Zouk) e DJ Hélio Baiano (Melhor Colaboração) integram, igualmente a lista dos premiados da noite.

Na categoria Melhor Gospel, o prémio foi atribuído a Miguel Buila, Melhor Kizomba - pele negra " C4 Pedro, Melhor Kuduro - Noite e Dia, Melhor Música Tradicional- Baló Januário, Lavinci como Melhor Produtor Musical e Melhor R&B/Soul para Sidjey.

Na categoria Melhor Semba, Mwangolé de Adelasio conquistou o troféu, Melhor World Music para Cheketela, Lutonda como o Melhor DJ,  enquanto Os Calema e Soraya Ramos ficaram com o prémio de Melhor  Música PALOP.

Nesta oitava edição, o homenageado foi o Dj Paulo Alves, pelo seu contributo em prol da cultura angolana.

De acordo com o ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, a premiação é motivadora e enriquece a cultura nacional.

Para o governante, é fundamental encontrar soluções criativas ligadas às dinâmicas culturais, teatrais, cinematográficas, bem como a dança.