F.Tchikondo assina memorando com Câmara de Comércio e Indústria Angola Bélgica

Luanda- O escritor F.Tchikondo assinou, na sexta-feira, um memorando de entendimento com a Câmara de Comércio e Indústria Angola Bélgica para a tradução da sua obra " O grande império kassitur na dinastia sekele", para a língua inglesa e a sua edição em formato de banda desenhada para crianças.

O interesse dos promotores na tradução do livro reside na constatação de que o mesmo reflecte uma visão futurista e renascentista de África, assente no desenvolvimento tecnológico e no conhecimento científico.

A versão inglesa será divulgada internacionalmente, numa primeira fase nos mercados da África do Sul e da Nigéria e, posteriormente, nos vários países anglófonos.
 
Segundo o escritor, o livro fala de uma empresa de referência que nasce em África, concretamente em Angola e que se torna império comercial baseado na exploração da industria turistica.

Conforme o escritor, é um império que nasce   em condições  muito dificeis da realidade angolana, no periodo de 1992 a 2000, e atinge uma dimensão muito grande, acompanhada de desenvolvimento tecnologico, economico, social, cultural de Angola até atingir os anos de 2150.

 F.Tchikondo esclarece que é em 2150 que é feita a avaliação do percurso desta grande empresa pelos descedentes do fundador que é o personagem kassinda Vemba Sekele.

" São os trisnetos do fundador, que olhando para trás vêm o percurso desta grande empresa e descobrem que ela nasce numa conjuntura muito complicada e adversa, mas vence porque Angola também vence, e tem um ambiente de Desenvolvimento mais favoravel que faz com que a empresa também vença", adiantou.

O escritor disse que o império não é resultado do acaso, mas é o resultado de ultrapassar políticas erradas, de corrigir metodologias que não dão certo e de condições para atrair investimento privado, quer seja estrangeiro como nacional e criar as condições para que estes empreendedores possam progredir para ter uma Angola muito mais desenvolvida.

O que há de novidade, segundo o escritor, é o arrojo de ter pensado para além do período que os angolanos estão actualmente a viver e de ter imaginado coisas que, possivelmente, poderão ocorrer e ter se  esforçado para  ficcionar para uma linha de evolução que vem do passado, que é a estoria da  realidade actual de Angola.

 Referiu que fazendo a ligação  do passado para o momento actual, pode ser projectado o futuro, e com um pouco de esforço e imaginação realista é possivel ver qual será o futuro da realidade angolana nas  áreas economica, sociologica, política, cultural e demografica." Com imaginação é possivel essa evolução e fazer esta especulação razoavel, tecnico cientifica de como as coisas evoluirão".

F. Tchikondo é o pseudónimo literário de Francisco Queiroz, advogado de profissão, professor de Direito Económico na Universidade Agostinho Neto, desde 1985, actualmente com a categoria de Professor Associado.

 É o actual Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos da República de Angola.

 F. Tchikondo é também autor da obra literária “O Semeador de Pedrinhas e outros contos”, e de diversos poemas, alguns dos quais musicados.

O interesse dos promotores na tradução do livro reside na constatação de que o mesmo reflecte uma visão futurista e renascentista de África, assente no desenvolvimento tecnológico e no conhecimento científico.

A versão inglesa será divulgada internacionalmente, numa primeira fase nos mercados da África do Sul e da Nigéria e, posteriormente, nos vários países anglófonos.
 
Segundo o escritor, o livro fala de uma empresa de referência que nasce em África, concretamente em Angola e que se torna império comercial baseado na exploração da industria turistica.

Conforme o escritor, é um império que nasce   em condições  muito dificeis da realidade angolana, no periodo de 1992 a 2000, e atinge uma dimensão muito grande, acompanhada de desenvolvimento tecnologico, economico, social, cultural de Angola até atingir os anos de 2150.

 F.Tchikondo esclarece que é em 2150 que é feita a avaliação do percurso desta grande empresa pelos descedentes do fundador que é o personagem kassinda Vemba Sekele.

" São os trisnetos do fundador, que olhando para trás vêm o percurso desta grande empresa e descobrem que ela nasce numa conjuntura muito complicada e adversa, mas vence porque Angola também vence, e tem um ambiente de Desenvolvimento mais favoravel que faz com que a empresa também vença", adiantou.

O escritor disse que o império não é resultado do acaso, mas é o resultado de ultrapassar políticas erradas, de corrigir metodologias que não dão certo e de condições para atrair investimento privado, quer seja estrangeiro como nacional e criar as condições para que estes empreendedores possam progredir para ter uma Angola muito mais desenvolvida.

O que há de novidade, segundo o escritor, é o arrojo de ter pensado para além do período que os angolanos estão actualmente a viver e de ter imaginado coisas que, possivelmente, poderão ocorrer e ter se  esforçado para  ficcionar para uma linha de evolução que vem do passado, que é a estoria da  realidade actual de Angola.

 Referiu que fazendo a ligação  do passado para o momento actual, pode ser projectado o futuro, e com um pouco de esforço e imaginação realista é possivel ver qual será o futuro da realidade angolana nas  áreas economica, sociologica, política, cultural e demografica." Com imaginação é possivel essa evolução e fazer esta especulação razoavel, tecnico cientifica de como as coisas evoluirão".

F. Tchikondo é o pseudónimo literário de Francisco Queiroz, advogado de profissão, professor de Direito Económico na Universidade Agostinho Neto, desde 1985, actualmente com a categoria de Professor Associado.

 É o actual Ministro da Justiça e dos Direitos Humanos da República de Angola.

 F. Tchikondo é também autor da obra literária “O Semeador de Pedrinhas e outros contos”, e de diversos poemas, alguns dos quais musicados.