Artista plástico ressalta papel da mulher em obras de pinturas

  • Pinturas do artista plástico angolano, Osvaldo Ferreira
Luanda – Vinte obras de pintura que destacam o papel da mulher na sociedade, do artista plástica angolano Osvaldo Ferreira, estão patentes desde hoje, sexta-feira, até 31 de Dezembro deste ano, na galeria do Banco Económico em Luanda.

A exposição individual, intitulada “Dissidência Extravagante: Construindo uma práxis local”, segundo o artista, que falava à Angop, nesta sexta-feira, retrata o quotidiano da cidade de Luanda, com realce para as batalhas da mulher em vários domínios como no suporte familiar, nos negócios, no trabalho e no cultivo dos valores morais da sociedade.  

Para dar ênfase africana e angolana, em particular, Osvaldo Ferreira diz que concebeu as suas obras, em acrílico sobre tela, fazendo recurso ao denominado “pano de Congo”.

Natural de Luanda, Osvaldo Ferreira pertence à nova geração de jovens artistas plásticos angolanos.

Começou aos 12 anos a elaborar os primeiros traços pictóricos, fruto da paixão que sempre nutriu pelas cores e figuras geométricas.

Tem na sua colecção as exposições “Exposição “Entre a Lupa e o Pincel: Radiografando Luanda”, Museu de História Natural, Luanda”, “Exposição “O Impacto das Redes Sociais em Angola”, Museu de História Natural, Luanda”, “Exposição colectiva “Reviver Manguxi”, Galeria do Desportivo, Luanda”,

Vencedor do Prémio de Pintura ENSARTE, edição 2020, Osvaldo Ferreira é  membro da União Nacional de Artistas Plásticos (UNAP), docente do Complexo das Escolas de Arte (CEART) e funcionário do Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente.

A exposição individual, intitulada “Dissidência Extravagante: Construindo uma práxis local”, segundo o artista, que falava à Angop, nesta sexta-feira, retrata o quotidiano da cidade de Luanda, com realce para as batalhas da mulher em vários domínios como no suporte familiar, nos negócios, no trabalho e no cultivo dos valores morais da sociedade.  

Para dar ênfase africana e angolana, em particular, Osvaldo Ferreira diz que concebeu as suas obras, em acrílico sobre tela, fazendo recurso ao denominado “pano de Congo”.

Natural de Luanda, Osvaldo Ferreira pertence à nova geração de jovens artistas plásticos angolanos.

Começou aos 12 anos a elaborar os primeiros traços pictóricos, fruto da paixão que sempre nutriu pelas cores e figuras geométricas.

Tem na sua colecção as exposições “Exposição “Entre a Lupa e o Pincel: Radiografando Luanda”, Museu de História Natural, Luanda”, “Exposição “O Impacto das Redes Sociais em Angola”, Museu de História Natural, Luanda”, “Exposição colectiva “Reviver Manguxi”, Galeria do Desportivo, Luanda”,

Vencedor do Prémio de Pintura ENSARTE, edição 2020, Osvaldo Ferreira é  membro da União Nacional de Artistas Plásticos (UNAP), docente do Complexo das Escolas de Arte (CEART) e funcionário do Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente.