Lançado projecto de empoderamento de mulheres

Menongue - Um projecto de educação e empoderamento de mulheres, a ser desenvolvido durante três anos, em uma escola comunitária da Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP), foi lançado oficialmente nesta quinta-feira, em Menongue, província do Cuando Cubango.

O projecto, financiado pelo governo dos Países Baixos, através da embaixada da Holanda em Angola, já está a ser desenvolvido nas províncias do Cunene e de Benguela, desde Novembro de 2020 e vai até Novembro de 2023.    

Localmente serão alfabetizadas 490 mulheres, acompanhadas por oito alfabetizadores.

O director da escola do magistério ADPP – Cuando Cubango, Walter Alexandre, disse que o projecto tem por objectivo promover a educação e empoderamento de mulheres, criando condições necessárias para a sua estabilidade económica.

Já a directora do Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade do Género no Cuando Cubango, Aida Rosalina Pedro, considerou ser um projecto ambicioso, uma vez que o empoderamento da mulher exige investimento, para o seu desenvolvimento social e económico, no quadro da promoção da equidade de género.

Desta forma, disse a responsável, será possível a garantia do efectivo fortalecimento das economias, da qualidade de vida das mulheres, homens e crianças de forma sustentável.

 

O projecto, financiado pelo governo dos Países Baixos, através da embaixada da Holanda em Angola, já está a ser desenvolvido nas províncias do Cunene e de Benguela, desde Novembro de 2020 e vai até Novembro de 2023.    

Localmente serão alfabetizadas 490 mulheres, acompanhadas por oito alfabetizadores.

O director da escola do magistério ADPP – Cuando Cubango, Walter Alexandre, disse que o projecto tem por objectivo promover a educação e empoderamento de mulheres, criando condições necessárias para a sua estabilidade económica.

Já a directora do Gabinete da Acção Social, Família e Igualdade do Género no Cuando Cubango, Aida Rosalina Pedro, considerou ser um projecto ambicioso, uma vez que o empoderamento da mulher exige investimento, para o seu desenvolvimento social e económico, no quadro da promoção da equidade de género.

Desta forma, disse a responsável, será possível a garantia do efectivo fortalecimento das economias, da qualidade de vida das mulheres, homens e crianças de forma sustentável.