Porto de Luanda poderá ter profundidade de menos 16

  • Vista parcial noturna do Porto de Luanda
Luanda - O Porto de Luanda vai, a partir de 2022, alargar a sua jurisdição até a barra do Dande e aumentar a cota de profundidade de menos 12, 5 para menos 16, informou esta quarta-feira, em Luanda, o Presidente do Conselho de Administração do Porto, Alberto Bengue.

Conforme o responsável, que falava à imprensa, à margem da 4ª Reunião de Quadros do Porto de Luanda, para o desenvolvimento do porto, está prevista a construção de uma terminal de cruzeiros, de um estaleiro naval, bem como a zona marítima será estendida da cota de profundidade de 12,5 para menos 14 ou menos 16 metros de profundidade.

O processo de modernização do Porto de Luanda começou com a concessão dos novos planos director (já aprovado pelo Executivo) e de ordenamento, por se tratar de duas ferramentas fundamentais para desenvolver o mesmo, com tecnologia de ponta para tratar com eficiência o processo de carga e descarga.

Alberto Bengue disse que estão em forja vários projectos que serão submetidos a concursos públicos, como é o caso da sinalização marítima, que vai permitir a entrada e saída de navios com uma posição bem condicionada e o lançamento do VT Portuário (Sistema de Tráfego).

O VT Portuário vai permitir uma visibilidade de todos navios que atracam no Porto de Luanda.

Este sistema, fez saber, vai possibilitar o acompanhamento e monitorização da actividade diária dos navios, quer seja na baía quer seja no cais em regime de operação.

Ainda no plano director, de acordo com o PCA, vai-se lançar um concurso para o Sistema de Vídeo Vigilância que vai abranger não só a administração do Porto, mas também toda sua extensão de exploração e de expansão.

A área de jurisdição do Porto de Luanda começa no farol da Ilha do Cabo e termina no farol das Lagostas, sendo que a proposta é de que se alargue até a foz do rio Dande.

No entender do PCA, está petição tem já em conta o grande investimento a se realizar na Barra do Dande, com a construção de um terminal portuário, zonas logística e franca, em que o porto fará parte da sociedade e do processo todo.

Por outro lado, o director comercial e gestor das concessões do Porto de Luanda, Roberto Martins, disse estar a se verificar ligeiro crescimento de navios em 2021, depois da fraca frequência devido à pandemia da Covid em 2019.

Para si, a carga movimentada pelo porto no primeiro semestre de 2021 foi de cerca de três milhões 800 mil toneladas e 200 mil contentores, o que dá 350 mil TEU (Unidade Equivalente a Vinte Pés).

Em 2020, seis milhões e 450 mil toneladas, com um movimento de contentores a rondar os 450 mil, e, em termos de TEU, foram 564 mil.

Para si, a retracção entre o ano de 2020 até a data foi de cerca de sete porcento, mas os números indicam crescimento em 2021, que pode chegar os sete milhões e 100 mil de toneladas.

A 4ª Reunião de Quadros do Porto de Luanda  decorre sob o lema “Os Desafios da Modernização do Porto de Luanda “.

O Porto de Luanda tem três terminais de contentores, o do próprio porto, o multiuso, o polivalente. Os três têm uma capacidade estática de cerca de 700 mil TEU, em 2014, mas a capacidade total é de cerca de um milhão de TEU.

Conforme o responsável, que falava à imprensa, à margem da 4ª Reunião de Quadros do Porto de Luanda, para o desenvolvimento do porto, está prevista a construção de uma terminal de cruzeiros, de um estaleiro naval, bem como a zona marítima será estendida da cota de profundidade de 12,5 para menos 14 ou menos 16 metros de profundidade.

O processo de modernização do Porto de Luanda começou com a concessão dos novos planos director (já aprovado pelo Executivo) e de ordenamento, por se tratar de duas ferramentas fundamentais para desenvolver o mesmo, com tecnologia de ponta para tratar com eficiência o processo de carga e descarga.

Alberto Bengue disse que estão em forja vários projectos que serão submetidos a concursos públicos, como é o caso da sinalização marítima, que vai permitir a entrada e saída de navios com uma posição bem condicionada e o lançamento do VT Portuário (Sistema de Tráfego).

O VT Portuário vai permitir uma visibilidade de todos navios que atracam no Porto de Luanda.

Este sistema, fez saber, vai possibilitar o acompanhamento e monitorização da actividade diária dos navios, quer seja na baía quer seja no cais em regime de operação.

Ainda no plano director, de acordo com o PCA, vai-se lançar um concurso para o Sistema de Vídeo Vigilância que vai abranger não só a administração do Porto, mas também toda sua extensão de exploração e de expansão.

A área de jurisdição do Porto de Luanda começa no farol da Ilha do Cabo e termina no farol das Lagostas, sendo que a proposta é de que se alargue até a foz do rio Dande.

No entender do PCA, está petição tem já em conta o grande investimento a se realizar na Barra do Dande, com a construção de um terminal portuário, zonas logística e franca, em que o porto fará parte da sociedade e do processo todo.

Por outro lado, o director comercial e gestor das concessões do Porto de Luanda, Roberto Martins, disse estar a se verificar ligeiro crescimento de navios em 2021, depois da fraca frequência devido à pandemia da Covid em 2019.

Para si, a carga movimentada pelo porto no primeiro semestre de 2021 foi de cerca de três milhões 800 mil toneladas e 200 mil contentores, o que dá 350 mil TEU (Unidade Equivalente a Vinte Pés).

Em 2020, seis milhões e 450 mil toneladas, com um movimento de contentores a rondar os 450 mil, e, em termos de TEU, foram 564 mil.

Para si, a retracção entre o ano de 2020 até a data foi de cerca de sete porcento, mas os números indicam crescimento em 2021, que pode chegar os sete milhões e 100 mil de toneladas.

A 4ª Reunião de Quadros do Porto de Luanda  decorre sob o lema “Os Desafios da Modernização do Porto de Luanda “.

O Porto de Luanda tem três terminais de contentores, o do próprio porto, o multiuso, o polivalente. Os três têm uma capacidade estática de cerca de 700 mil TEU, em 2014, mas a capacidade total é de cerca de um milhão de TEU.