Ministro dos Transportes quer mais das empresas do sector

  • Ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu
Luanda - O ministro dos Transportes, Ricardo de Abreu, exigiu, esta segunda-feira, um melhor desempenho das empresas do sector, tendo em vista elevar a sua contribuição no crescimento económico do país.

No empossamento de membros dos novos conselhos de administração de empresas públicas deste sector, o ministro Ricardo de Abreu disse que elas podem catapultar o crescimento de outros segmentos da economia.

Trata-se das empresas de Transporte Colectivo e Urbano de Luanda (TCUL), dos Caminhos-de-Ferro de Benguela (CFB), bem como dos portos do Namibe e Amboim.

Na ocasião, o governante considerou existirem grandes desafios pela frente, que deverão ser suplantados com rigor e comprometimento com o trabalho.

Ricardo de Abreu lembrou que o sector tem em curso reformas estruturais das quais se espera resultados que impulsionarão o desenvolvimento das empresas e a maximização da economia nacional.

Por sua vez, o Presidente do Conselho de Administração do Porto do Namibe, Nazaré Neto, apontou as prioridades para a nova missão.

"Contribuir para a melhoria do ambiente de negócios, assegurar o contínuo crescimento da unidade portuária do Namibe e atrair investimentos para o sector", frisou o gestor que trabalhou nos portos de Luanda e Cabinda.

Já o Presidente do conselho de administração do Porto Amboim, Francisco José Aleixo, reconheceu que vai gerir uma empresa com muitas dificuldades, mas acredita que será possível atrair investidores.

O gestor entende que o Porto Amboim tem um grande potencial, o que facilitará a atracção dos grandes investidores e dinamizar o sector. 

 

No empossamento de membros dos novos conselhos de administração de empresas públicas deste sector, o ministro Ricardo de Abreu disse que elas podem catapultar o crescimento de outros segmentos da economia.

Trata-se das empresas de Transporte Colectivo e Urbano de Luanda (TCUL), dos Caminhos-de-Ferro de Benguela (CFB), bem como dos portos do Namibe e Amboim.

Na ocasião, o governante considerou existirem grandes desafios pela frente, que deverão ser suplantados com rigor e comprometimento com o trabalho.

Ricardo de Abreu lembrou que o sector tem em curso reformas estruturais das quais se espera resultados que impulsionarão o desenvolvimento das empresas e a maximização da economia nacional.

Por sua vez, o Presidente do Conselho de Administração do Porto do Namibe, Nazaré Neto, apontou as prioridades para a nova missão.

"Contribuir para a melhoria do ambiente de negócios, assegurar o contínuo crescimento da unidade portuária do Namibe e atrair investimentos para o sector", frisou o gestor que trabalhou nos portos de Luanda e Cabinda.

Já o Presidente do conselho de administração do Porto Amboim, Francisco José Aleixo, reconheceu que vai gerir uma empresa com muitas dificuldades, mas acredita que será possível atrair investidores.

O gestor entende que o Porto Amboim tem um grande potencial, o que facilitará a atracção dos grandes investidores e dinamizar o sector.