Petro e Sagrada jogam partida de reencontros e coincidências

  • Jogo entre Petro e Sagrada - os dois representantes na Champins (Arquivo)
Dundo – O jogo entre Petro de Luanda e Sagrada Esperança, para a decisão do título do Campeonato Nacional de futebol, sábado, no Estádio 11 de Novembro, além de reeditar a final de há 16 anos, vai protagonizar um reencontro entre Mateus Agostinho "Bodunha" (Petro) e Roque Sapiri (Sagrada) fora dos relvados.

Antigos rivais, desde a época de jogadores, ambos travaram vários duelos, especialmente em 2005, no Dundo, quando o Sagrada Esperança sagrou-se campeão pela primeira e única vez ao vencer por 1-0, com golo do defesa Lebolebo.

Agora na condição de treinadores principais, defrontaram-se uma vez no presente Girabola2021, novamente na cidade do Dundo, onde Sapiri voltou a “bater" Bodunha, na 15ª jornada, com golo do médio ala Lépua.

Com estilos de jogo completamente diferentes e uma trajectória marcada por descrédito por parte de adeptos e críticos, a conquista dá prova seria a confirmação de competências, mas para o efeito, terão de ser ousados, saber gerir a pressão e a ansiedade por parte dos “pupilos”.

Igualadas a 67 pontos, nas duas primeiras posições, à formação lunda basta um empate para lograr o segundo caneco no seu histórico mercê do triunfo de 1-0 na primeira volta, enquanto do lado contrário apenas interessa o triunfo.

Nas contas, os contendores defrontaram-se oito vezes nos últimos quatro anos, com um registo de três empates, quatro vitórias para o Petro de Luanda (dois em Luanda e igual número no Dundo) e uma única vitória para o Sagrada Esperança (no seu reduto).

Na comparação entre os técnicos, os números impressionantes coincidem novamente. De 45 anos, Sapiri, natural do Dundo, carrega a marca de invencibilidade em casa, onde em 15 jogos venceu 13, empatou dois, garantindo 41 pontos dos 45 possíveis nas 29 jornadas disputadas.

O “mister”, que iniciou a carreira desportiva em 1988 nesta mesma colectividade, lidera o conjunto com a defesa menos batida. Apenas dez golos sofridos, duas derrotas, sete empates, 20 vitórias e 41 golos em 29 jornadas.

Enquanto Mateus “Bodunha”, que assumiu o comando técnico dos “Petrolíferos”, em Fevereiro último, estreou-se com vitória de 2-0 frente ao Cuando Cubango FC.

De 47 anos de idade, natural de Luanda, desde a sua indicação como treinador obteve 14 vitórias, três empates e somente um desaire, conquistando 45 dos 54 pontos possíveis em 18 partidas.

No entanto, no cômputo geral, a formação comandada pelo antigo lateral direito soma 20 vitórias, sete empates e duas derrotas. Marcou 41 golos e sofreu dez em 29 desafios.

Como atleta dos “petrolíferos”, conquistou quatro títulos nacionais. Teve ainda passagens pelas equipas portuguesas do Sporting de Espinho, Sporting de Braga, Salgueiros e Gondomar.

Iniciou a carreira de treinador como adjunto da equipa principal na época de 2012/2013, antes de rumar para o Recreativo do Libolo (adjunto) e Kabuscorp do Palanca (adjunto e depois principal).

Uma outra coincidência será o duelo entre os irmãos Karanga Carneiro (Sagrada) e Tó Carneiro (Petro). Pela primeira vez em oito anos jogam em equipas diferentes, após longo tempo juntos no Recreativo da Caála, Interclube e Petro de Luanda.

Formado no Petro do Huambo, o médio ofensivo Jorge Mendes Corte Real Carneiro "Karanga", de 27 anos de idade, rumou para o Sagrada Esperança em 2020, assinando um contrato por duas épocas, depois de representar o Petro de Luanda em 2018 e 2019.

No primeiro “embate” entre manos, na primeira volta Karanga foi fundamental na vitória do Sagrada Esperança, ao fazer assistência à Lépua para o único tento do encontro.

Com três golos, seis assistências em 26 jogos na presente temporada, o jogador tem sido das principais referências na defesa e, também, no ataque da equipa verde e branca.

Já Augusto de Jesus Carneiro "Tó Carneiro", 25 anos, trocou o Interclube pelo Petro em 2018, na altura uma das mais mediáticas transferências do futebol nacional. O lateral esquerdo tem sido titular “indiscutível” na defesa constituindo-se em autêntica dor de cabeça para os adversários.

Bastante combativo, Tó Carneiro, que já representou várias vezes a selecção nacional “Palancas Negras”, também tem ajudado a sua equipa nas acções ofensivas, tirando partido da sua velocidade.

Assim, sábado, às 15h00, no Estádio 11 de Novembro vai assistir-se a uma partida de coincidências entre treinadores que foram defesas e rejeitados no início e dos irmãos, também defesas, que desenvolveram as carreiras até então nas mesmas equipas.

No mesmo dia, além do Petro/Sagrada, defrontam-se Recreativo da Caála/Recreativo do Libolo (Caála), Académica do Lobito/Desportivo da Huíla (Buraco), e 1º de Agosto/Ferrovia do Huambo (Coqueiros).   

No entanto, a jornada 30 inicia esta sexta-feira com os desafios, todos às 15 horas, Interclube/Santa Rita (22 de Junho), Wiliete de Benguela/Baixa de Cassanje (Ombaka), Progresso Sambizanga/Bravos do Maquis (Coqueiros) e Sportinmg de Cabinda/Cuando Cubango FC (Tafe).

Antigos rivais, desde a época de jogadores, ambos travaram vários duelos, especialmente em 2005, no Dundo, quando o Sagrada Esperança sagrou-se campeão pela primeira e única vez ao vencer por 1-0, com golo do defesa Lebolebo.

Agora na condição de treinadores principais, defrontaram-se uma vez no presente Girabola2021, novamente na cidade do Dundo, onde Sapiri voltou a “bater" Bodunha, na 15ª jornada, com golo do médio ala Lépua.

Com estilos de jogo completamente diferentes e uma trajectória marcada por descrédito por parte de adeptos e críticos, a conquista dá prova seria a confirmação de competências, mas para o efeito, terão de ser ousados, saber gerir a pressão e a ansiedade por parte dos “pupilos”.

Igualadas a 67 pontos, nas duas primeiras posições, à formação lunda basta um empate para lograr o segundo caneco no seu histórico mercê do triunfo de 1-0 na primeira volta, enquanto do lado contrário apenas interessa o triunfo.

Nas contas, os contendores defrontaram-se oito vezes nos últimos quatro anos, com um registo de três empates, quatro vitórias para o Petro de Luanda (dois em Luanda e igual número no Dundo) e uma única vitória para o Sagrada Esperança (no seu reduto).

Na comparação entre os técnicos, os números impressionantes coincidem novamente. De 45 anos, Sapiri, natural do Dundo, carrega a marca de invencibilidade em casa, onde em 15 jogos venceu 13, empatou dois, garantindo 41 pontos dos 45 possíveis nas 29 jornadas disputadas.

O “mister”, que iniciou a carreira desportiva em 1988 nesta mesma colectividade, lidera o conjunto com a defesa menos batida. Apenas dez golos sofridos, duas derrotas, sete empates, 20 vitórias e 41 golos em 29 jornadas.

Enquanto Mateus “Bodunha”, que assumiu o comando técnico dos “Petrolíferos”, em Fevereiro último, estreou-se com vitória de 2-0 frente ao Cuando Cubango FC.

De 47 anos de idade, natural de Luanda, desde a sua indicação como treinador obteve 14 vitórias, três empates e somente um desaire, conquistando 45 dos 54 pontos possíveis em 18 partidas.

No entanto, no cômputo geral, a formação comandada pelo antigo lateral direito soma 20 vitórias, sete empates e duas derrotas. Marcou 41 golos e sofreu dez em 29 desafios.

Como atleta dos “petrolíferos”, conquistou quatro títulos nacionais. Teve ainda passagens pelas equipas portuguesas do Sporting de Espinho, Sporting de Braga, Salgueiros e Gondomar.

Iniciou a carreira de treinador como adjunto da equipa principal na época de 2012/2013, antes de rumar para o Recreativo do Libolo (adjunto) e Kabuscorp do Palanca (adjunto e depois principal).

Uma outra coincidência será o duelo entre os irmãos Karanga Carneiro (Sagrada) e Tó Carneiro (Petro). Pela primeira vez em oito anos jogam em equipas diferentes, após longo tempo juntos no Recreativo da Caála, Interclube e Petro de Luanda.

Formado no Petro do Huambo, o médio ofensivo Jorge Mendes Corte Real Carneiro "Karanga", de 27 anos de idade, rumou para o Sagrada Esperança em 2020, assinando um contrato por duas épocas, depois de representar o Petro de Luanda em 2018 e 2019.

No primeiro “embate” entre manos, na primeira volta Karanga foi fundamental na vitória do Sagrada Esperança, ao fazer assistência à Lépua para o único tento do encontro.

Com três golos, seis assistências em 26 jogos na presente temporada, o jogador tem sido das principais referências na defesa e, também, no ataque da equipa verde e branca.

Já Augusto de Jesus Carneiro "Tó Carneiro", 25 anos, trocou o Interclube pelo Petro em 2018, na altura uma das mais mediáticas transferências do futebol nacional. O lateral esquerdo tem sido titular “indiscutível” na defesa constituindo-se em autêntica dor de cabeça para os adversários.

Bastante combativo, Tó Carneiro, que já representou várias vezes a selecção nacional “Palancas Negras”, também tem ajudado a sua equipa nas acções ofensivas, tirando partido da sua velocidade.

Assim, sábado, às 15h00, no Estádio 11 de Novembro vai assistir-se a uma partida de coincidências entre treinadores que foram defesas e rejeitados no início e dos irmãos, também defesas, que desenvolveram as carreiras até então nas mesmas equipas.

No mesmo dia, além do Petro/Sagrada, defrontam-se Recreativo da Caála/Recreativo do Libolo (Caála), Académica do Lobito/Desportivo da Huíla (Buraco), e 1º de Agosto/Ferrovia do Huambo (Coqueiros).   

No entanto, a jornada 30 inicia esta sexta-feira com os desafios, todos às 15 horas, Interclube/Santa Rita (22 de Junho), Wiliete de Benguela/Baixa de Cassanje (Ombaka), Progresso Sambizanga/Bravos do Maquis (Coqueiros) e Sportinmg de Cabinda/Cuando Cubango FC (Tafe).