Fundista Neide Dias fora dos Jogos Olímpicos

  • Natália Bernardo será a porta-bandeira da comitiva angolana no Japão
Luanda – A fundista Neide Dias atribuiu, hoje, segunda-feira, culpas à Federação Angolana de Atletismo pela sua não inscrição para participar nos Jogos Olímpicos, a disputar-se de 23 deste mês a 8 de Agosto em Tóquio, Japão.

Presente em um centro de treinamento e alto rendimento em França, onde preparava a sua participação para o evento, a atleta fica impedida de participar por não ter o passaporte renovado em tempo útil.

Falando durante o programa "Prolongamento” da TV Zimbo, contou, em lágrimas, que face ao silêncio da federação, apesar de avisada desde Janeiro último, teve de ser ela a tratar da renovação do documento em França.

No entanto, explicou que a resposta surgiu já fora do período de inscrição permitido pelo Comité Olímpico Internacional.

A recordista nacional nos 1.500 metros, 3.000 m e 10.000 m, que reside em Portugal, diz-se injustiçada e alerta para que situações idênticas não ocorram com nenhum outro atleta por falta de seriedade, como alegadamente aconteceu no seu caso.

O secretário-geral do Comité Olímpico Angolano, António Monteiro "Bambino”, explicou que o processo de selecção e inscrições dos concorrentes para os jogos são de inteira responsabilidade das respectivas federações.

Por conta desta e de outras situações similares, o antigo desportista admitiu a hipótese de interferência neste particular para que casos do género não voltem a acontecer.

Já o antigo fundista, João Ntyamba, não tem dúvida de que se tratou de falta de comunicação e de profissionalismo por parte da direcção da Federação, pelo que lamenta.

No seu entendimento, devia ser o órgão federativo a assumir a renovação do passaporte da atleta e inscreve-la para a competição, acrescentando que quando se trata de defender a bandeira de Angola o comprometimento deve ser total.

Ntyamba, um dos desportistas do país com mais participações em Jogos Olímpicos, afirmou estar-se em presença de um conjunto de problemas que se arrastam a longo tempo, lembrando o episódio na edição de Londres´2012 em que o representante do boxe não competiu por falta de um treinador.

Angola participa nos Jogos de Tóquio com a selecção sénior feminina de andebol, uma dupla da natação, outra da vela, um atleta de atletismo e uma judoca.

A primeira parte da comitiva partiu hoje para o palco do evento.

Presente em um centro de treinamento e alto rendimento em França, onde preparava a sua participação para o evento, a atleta fica impedida de participar por não ter o passaporte renovado em tempo útil.

Falando durante o programa "Prolongamento” da TV Zimbo, contou, em lágrimas, que face ao silêncio da federação, apesar de avisada desde Janeiro último, teve de ser ela a tratar da renovação do documento em França.

No entanto, explicou que a resposta surgiu já fora do período de inscrição permitido pelo Comité Olímpico Internacional.

A recordista nacional nos 1.500 metros, 3.000 m e 10.000 m, que reside em Portugal, diz-se injustiçada e alerta para que situações idênticas não ocorram com nenhum outro atleta por falta de seriedade, como alegadamente aconteceu no seu caso.

O secretário-geral do Comité Olímpico Angolano, António Monteiro "Bambino”, explicou que o processo de selecção e inscrições dos concorrentes para os jogos são de inteira responsabilidade das respectivas federações.

Por conta desta e de outras situações similares, o antigo desportista admitiu a hipótese de interferência neste particular para que casos do género não voltem a acontecer.

Já o antigo fundista, João Ntyamba, não tem dúvida de que se tratou de falta de comunicação e de profissionalismo por parte da direcção da Federação, pelo que lamenta.

No seu entendimento, devia ser o órgão federativo a assumir a renovação do passaporte da atleta e inscreve-la para a competição, acrescentando que quando se trata de defender a bandeira de Angola o comprometimento deve ser total.

Ntyamba, um dos desportistas do país com mais participações em Jogos Olímpicos, afirmou estar-se em presença de um conjunto de problemas que se arrastam a longo tempo, lembrando o episódio na edição de Londres´2012 em que o representante do boxe não competiu por falta de um treinador.

Angola participa nos Jogos de Tóquio com a selecção sénior feminina de andebol, uma dupla da natação, outra da vela, um atleta de atletismo e uma judoca.

A primeira parte da comitiva partiu hoje para o palco do evento.