Huíla produz mais de 50 mil plantas florestais

  • Plantação de árvores na Huíla
Lubango – Cinquenta e quatro mil 130 plantas de espécies ornamental, florestal e fruteiras foram produzidas, de Novembro de 2020 a Agosto último, em dois viveiros na província da Huíla.

Trata-se de 46 mil e 80 plantas florestais, 500 fruteiras e oito mil ornamentais, produzidas nos viveiros, sob tutela do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF), localizados nos polígonos da Humpata e da Chinhanha, no município da Matala.

Em relação a campanha anterior, houve uma redução de cinco mil 168 plantas, devido a pandemia da Covid-19.

Em declarações hoje, quarta-feira, à ANGOP, no Lubango, o responsável do IDF na Huíla, Abel Zamba, fez saber que, no mesmo período, foram plantados dois mil 251 eucaliptos no Polígono Florestal da Humpata, numa área de três hectares, acçao que contou com o apoio de uma associação juvenil.

Segundo a fonte, outras 22 mil plantas foram distribuídas a distintas instituições públicas, com destaque para as administrações municipais. assim como privadas e entidades singulares.

Abel Zamba disse que se previa produzir, nos dois viveiros, 61 mil 250 plantas florestais, seis mil 875 fruteiras e 31 mil 875 ornamentais, mas a meta não foi alcançada por culpa da pandemia da Covid-19, que forçou a suspensão do processo de plantação por alguns meses.

Por outro lado, manifestou que o IDF necessita de 140 fiscais, a razão de dez para cada município da província, para reforçar a acção dos 12 disponíveis que trabalham sobrecarregados.

Um outro problena, adiantou, é a necessidade de 14 viaturas para atender o trabalho de fiscalização, com vista a prevenir e combater as queimadas anárquicas, assim como a caça furtiva.

Como desafios, Abel Zamba anunciou, para os próximos dois anos, a criação de oito polígonos florestais nos municípios dos Gambos, Chibia, Quilengues, Matala, Quipungo, Chicomba, Cacula e Lubango.

Trata-se de 46 mil e 80 plantas florestais, 500 fruteiras e oito mil ornamentais, produzidas nos viveiros, sob tutela do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF), localizados nos polígonos da Humpata e da Chinhanha, no município da Matala.

Em relação a campanha anterior, houve uma redução de cinco mil 168 plantas, devido a pandemia da Covid-19.

Em declarações hoje, quarta-feira, à ANGOP, no Lubango, o responsável do IDF na Huíla, Abel Zamba, fez saber que, no mesmo período, foram plantados dois mil 251 eucaliptos no Polígono Florestal da Humpata, numa área de três hectares, acçao que contou com o apoio de uma associação juvenil.

Segundo a fonte, outras 22 mil plantas foram distribuídas a distintas instituições públicas, com destaque para as administrações municipais. assim como privadas e entidades singulares.

Abel Zamba disse que se previa produzir, nos dois viveiros, 61 mil 250 plantas florestais, seis mil 875 fruteiras e 31 mil 875 ornamentais, mas a meta não foi alcançada por culpa da pandemia da Covid-19, que forçou a suspensão do processo de plantação por alguns meses.

Por outro lado, manifestou que o IDF necessita de 140 fiscais, a razão de dez para cada município da província, para reforçar a acção dos 12 disponíveis que trabalham sobrecarregados.

Um outro problena, adiantou, é a necessidade de 14 viaturas para atender o trabalho de fiscalização, com vista a prevenir e combater as queimadas anárquicas, assim como a caça furtiva.

Como desafios, Abel Zamba anunciou, para os próximos dois anos, a criação de oito polígonos florestais nos municípios dos Gambos, Chibia, Quilengues, Matala, Quipungo, Chicomba, Cacula e Lubango.