Plataforma digital facilita comercialização de produtos das cooperativas

  • Cooperativas podem vender produtos agrícolas via internet
Ndalatando - As cooperativas agropecuárias no país contam actualmente com uma plataforma digital para exposição e comercialização de produtos.

Em declarações à Angop, em Ndalatando, capital da província do Cuanza Norte,  Adilson Vicusso , responsável do Projecto na circunscrição, disse que a plataforma vem  responder  às dificuldades de escoamento da produção agrícola.

Denominado Kepya, o instrumento reúne um conjunto de serviços e redes, concentrando produtores, compradores, transportadores, entre outros, visando a promoção da agricultura e do comércio.

“O Kepya surge para criar uma solução nas vendas dos produtos e uma satisfação para vendedores e compradores. Constitui uma ferramenta onde os cooperantes irão registar-se, divulgar os produtos com um tempo de exposição de um mês e vendê-los”, esclareceu.

O responsável que falava à propósito da acção formativa sobre “Gestão de Negócios”, dirigida a responsáveis de cooperativas agropecuárias, no Cuanza Norte, explicou que a ferramenta constitui uma oportunidade para as cooperativas publicitarem os seus produtos.

O instrumento, segundo o gestor, interliga um conjunto de cooperativas no país, empresários, fornecedores, transportadores, consumidores, entre outros. 

Na formação, os participantes abordaram temas como “Princípios, valores, comportamentos e atitudes, organização e estrutura da gestão de pessoal”.

“Os Princípios cooperativos, segurança e saúde, horários dignos, remuneração justa”, entre outros, foram igualmente aflorados na formação.

No Cuanza Norte estão controladas actualmente perto de 500 cooperativas, das quais 320 em vias de legalização e 39 legalizadas.

O Promove é um programa de iniciativa do Ministério da Economia e Planeamento (MEP), operacionalizado pelo Inapem para fortalecer a estrutura legal e reforçar a capacitação dos gestores das cooperativas, através da formação e assistência técnica dos mesmos.

 

Em declarações à Angop, em Ndalatando, capital da província do Cuanza Norte,  Adilson Vicusso , responsável do Projecto na circunscrição, disse que a plataforma vem  responder  às dificuldades de escoamento da produção agrícola.

Denominado Kepya, o instrumento reúne um conjunto de serviços e redes, concentrando produtores, compradores, transportadores, entre outros, visando a promoção da agricultura e do comércio.

“O Kepya surge para criar uma solução nas vendas dos produtos e uma satisfação para vendedores e compradores. Constitui uma ferramenta onde os cooperantes irão registar-se, divulgar os produtos com um tempo de exposição de um mês e vendê-los”, esclareceu.

O responsável que falava à propósito da acção formativa sobre “Gestão de Negócios”, dirigida a responsáveis de cooperativas agropecuárias, no Cuanza Norte, explicou que a ferramenta constitui uma oportunidade para as cooperativas publicitarem os seus produtos.

O instrumento, segundo o gestor, interliga um conjunto de cooperativas no país, empresários, fornecedores, transportadores, consumidores, entre outros. 

Na formação, os participantes abordaram temas como “Princípios, valores, comportamentos e atitudes, organização e estrutura da gestão de pessoal”.

“Os Princípios cooperativos, segurança e saúde, horários dignos, remuneração justa”, entre outros, foram igualmente aflorados na formação.

No Cuanza Norte estão controladas actualmente perto de 500 cooperativas, das quais 320 em vias de legalização e 39 legalizadas.

O Promove é um programa de iniciativa do Ministério da Economia e Planeamento (MEP), operacionalizado pelo Inapem para fortalecer a estrutura legal e reforçar a capacitação dos gestores das cooperativas, através da formação e assistência técnica dos mesmos.