Banco Mundial reafirma implementação do MOSAP III

  • Camponeses de Malanje colhem mandioca
Malanje- A especialista sénior em desenvolvimento rural para a prática da agricultura do Banco Mundial, Isabel Leão, reafirmou hoje, quinta-feira, a implementação, em breve, do MOSAP III (Projecto de Agricultura Familiar e Comercialização), para dinamizar o processo de diversificação económica do país.

 A responsável deu essa garantia no final de uma visita efectuada em algumas Escolas de Campo de Agricultores (ECA´s) de Malanje, realçado que, nesta altura, decorrem negociações com o governo angolano para o financiamento do referido projecto, que é uma continuidade do MOSAP II, a par do reforço do Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Comercial (PDAC), a julgar pelos seus resultados satisfatórios.

Enalteceu os esforços que têm vindo a ser empreendidos no domínio agrícola a nível do país, e em Malanje em particular, fruto da introdução de novas práticas que visam elevar os índices de produção, rumo à auto-suficiência alimentar.

Por sua vez, a gestora de prática agrícola para a África Austral do Banco mundial, Choba Chet, manifestou-se satisfeita com o resultado do MOSAP II, tendo assinalado o alargamento das áreas de cultivo e o envolvimento de mais famílias em Escolas de Campo de Agricultor(ECA), onde aprendem técnicas modernas de produção.

Apontou a agricultura como pilar do desenvolvimento de Angola, daí a contínua aposta do Banco Mundial neste segmento.

Implementado em 2016, com a designação de MOSAP e posteriormente MOSAP II, o projecto foi criado na perspectiva de melhorar a segurança alimentar e reduzir a pobreza no meio rural, por meio do aumento da produção e comercialização de produtos como a mandioca, feijão, milho, batata-rena e hortícolas.

Além de Malanje, o MOSAP II está implementado nas províncias do Huambo e Bié, nas quais foram criadas três mil 972 escolas de campos e capacitadas 97 mil e 159 famílias camponesas.

 A responsável deu essa garantia no final de uma visita efectuada em algumas Escolas de Campo de Agricultores (ECA´s) de Malanje, realçado que, nesta altura, decorrem negociações com o governo angolano para o financiamento do referido projecto, que é uma continuidade do MOSAP II, a par do reforço do Projecto de Desenvolvimento da Agricultura Comercial (PDAC), a julgar pelos seus resultados satisfatórios.

Enalteceu os esforços que têm vindo a ser empreendidos no domínio agrícola a nível do país, e em Malanje em particular, fruto da introdução de novas práticas que visam elevar os índices de produção, rumo à auto-suficiência alimentar.

Por sua vez, a gestora de prática agrícola para a África Austral do Banco mundial, Choba Chet, manifestou-se satisfeita com o resultado do MOSAP II, tendo assinalado o alargamento das áreas de cultivo e o envolvimento de mais famílias em Escolas de Campo de Agricultor(ECA), onde aprendem técnicas modernas de produção.

Apontou a agricultura como pilar do desenvolvimento de Angola, daí a contínua aposta do Banco Mundial neste segmento.

Implementado em 2016, com a designação de MOSAP e posteriormente MOSAP II, o projecto foi criado na perspectiva de melhorar a segurança alimentar e reduzir a pobreza no meio rural, por meio do aumento da produção e comercialização de produtos como a mandioca, feijão, milho, batata-rena e hortícolas.

Além de Malanje, o MOSAP II está implementado nas províncias do Huambo e Bié, nas quais foram criadas três mil 972 escolas de campos e capacitadas 97 mil e 159 famílias camponesas.