Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

19 Setembro de 2012 | 14h38 - Actualizado em 19 Setembro de 2012 | 14h38

Grupo CITIC da China projecta construir mais de 100 mil casas

Habitação

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

  

Luanda – O Grupo empresarial chinês CITIC encontra-se envolvido no programa de construção de cerca de 100 mil novas casas no país, residências a serem erguidas em dez províncias de Angola, revelou hoje (quarta-feira), em Luanda, o presidente do conselho de administração do colectivo, Chang Zhenming.

De acordo com o responsável em entrevista à Angop, no termo da sua visita de dois dias a Angola, nesta primeira fase está prevista a construção de perto de 49 mil casas, cujas obras estão já em curso em localidades de certas províncias, enquanto que as restantes 50 mil estão em projecção e consolidação do financiamento.

Entretanto, anunciou, os referidos projectos habitacionais na região Norte vão beneficiar as cidades de Cabinda, Soyo e Mbanza Kongo (Zaire), no Sul, Benguela, Namibe e Lubango (Huila), em Luanda no Zango e no município de Belas, estando ainda previstas obras no Kuando Kubango, Lunda Norte, Lunda Sul e outras áreas a definir.

Chang Zhenming, que terminou a visita de dois dias ao país, depois de participar na cerimónia de conclusão das obras da cidade do Kilamba, recentemente construída na zona sul da capital angolana, evitou igualmente revelar o orçamento do programa, alegando obter tais dados apenas depois de concluído um estudo para o efeito. 

A República de Angola e a China, país que financia maior parte das obras habitacionais em curso no território nacional, mantêm excelentes relações de cooperação em vários domínios, entre as quais as área da política e diplomacia, construção civil, defesa e segurança, agricultura, economia e finanças, petróleo, cultura e educação.

Assuntos Angola  

Leia também