Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

22 Junho de 2012 | 20h34 - Atualizado em 22 Junho de 2012 | 20h34

Projecto Hidroeléctrico de Laúca vai impulsionar desenvolvidamento

Energia

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda – A conclusão do Projecto Hidroeléctrico de Laúca, na província do Kwanza Norte, que terá uma potência instalada de 2067 megawatts (MW), cuja execução terá a duração de cinco anos e oito meses, vai promover o desenvolvimento industrial e comercial no país.


Esta afirmação é do ministro de Estado e da Coordenação Económica, Manuel Vicente,  em declarações à imprensa hoje, no município de Cambambe, província do Kwanza Norte, após efectuar o lançamento da pedra para construção do projecto.


Manuel Vicente apontou como uma das grandes vantagens do projecto ser, precisamente, suportar o grande desenvolvimento industrial e comercial do país.


“Sem força motriz é difícil promover o desenvolvimento industrial e comercial, por isso, o projecto vai servir para suportar o grande desenvolvimento industrial e comercial”, frisou.


O governante sublinhou que a execução do empreendimento é mais um passo do programa do Executivo, liderado pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, visando a recuperação e expansão do sistema eléctrico nacional.


O programa, sublinhou, visa resolver os problemas energéticos do país.


“O que fizemos aqui hoje e dar prosseguimento a esta grande obra que visa, fundamentalmente, melhorar a vida da população. A energia é factor fundamental no desenvolvimento do país”, realçou.


Com a obra concluída, ressaltou, o projecto vai gerar 2067 megawatts (MW), que vão permitir cobrir o deficit de energia eléctrica e talvez ultrapassar as necessidades que ainda o país carece a nível do fornecimento energético.


Precisou que a disponibilidade financeira para execução da obra está já garantida.


“Há alguns recursos locais que precisam ser reunidos, assim como estão a ser negociadas linhas de financiamento para cobrir um empreendimento dessa envergadura”, esclareceu.