Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

16 Maio de 2012 | 19h10 - Actualizado em 16 Maio de 2012 | 19h09

Especialista desaconselha consumo exagerado de bebidas frescas

Huíla

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Lubango – O médico de clínica geral do Hospital Geral “Agostinho Neto”, Faustino Domingos, aconselhou hoje, nessa cidade, os cidadãos consumidores de álcool e refrigerantes a absterem do consumo excessivo de bebidas frescas, durante a época de frio, que vai de15 de Maio a 15 de Agosto.

Falando à Angop, a propósito dos cuidados a ter durante nesse período, alertou que o exagero de bebidas frescas podem levar à contracção de doenças, com realce para a pneumonia.

O médico disse ser importante que as pessoas se agasalhem bem, abstenham-se do consumo de bebidas frescas e resfriados, pois Angola não dispõe de vacinas específicas contra as gripes.

“Como em Angola não se faz vacinação contra a gripe neste período, urge ingerir-se muitos líquidos, de preferência mornos para os adultos, de modo a prevenir situações de enfermidade, de preferência em casa, onde estarão ao cuidado de pessoas próximas com capacidade de reacção imediata”, asseverou o especialista.

Em seu entender, as pessoas que consomem muita bebida alcoólica fresca ou mesmo refrigerantes em grandes quantidades devem fazê-lo em casa, pois terminando o consumo têm a possibilidade de ir para cama e ficar protegidos com cobertores.

Considerou que em situações do género, as diferenças térmicas são o aspecto mais importante, porque o ambiente tem uma temperatura e o organismo outra capaz de auto-regular as duas (efectua a hemostáse), ou seja, o organismo tenta compensar a interna com a sua.

Deste modo, acrescentou, ingerindo substancias mais frescas desequilibra-se a temperatura do organismo com a externa já regulada pelo corpo, por isso aconselha-se a abstinência ao consumo de muita bebida fresca, neste período.

Para si, é urgente reduzir o consumo de bebidas alcoólicas, mesmo as quentes, ou adoptar pelo consumo caseiro, porque na fase de embriagues os mais próximos podem ajudar com medidas próprias, para evitarem-se casos de coma etílico e por consequência pneumonias, muitas vezes levando à morte do paciente.

Disse existir um coma facilmente reversível, mas associado a uma pneumonia, e porque o tratamento se torna mais moroso e muitas vezes deriva em falecimento.

Entre as doenças mais frequentes neste período de frio constam a gripe, resfriado, pneumonia, enfisema, asma, bronquite, sinusite e rinite, na maioria do sistema respiratório, caracterizadas por espirros, coriza e nariz entupido, falta de ar e febre.

Assuntos Província » Huíla  

Leia também
  • 28/05/2014 19:35:39

    Censo2014: Polícia na Huíla sem qualquer registo de incidente

    Lubango - O director da ordem pública do Comando Provincial da Policia Nacional na Huíla, superintende chefe Fernando Feliciano António, garantiu hoje, quarta-feira, na cidade do Lubango, não haver registo, até ao momento, de qualquer caso ligado ao Censo e que alterasse a sua implementação na província, quando faltam três dias para a sua conclusão.

  • 27/05/2014 19:47:46

    Huíla: ENE defende instalação de geradores nas Novas Centralidades

    Lubango - O director provincial da Empresa Nacional de Electricidade (ENE) da Huíla, João Pinto, defendeu hoje, terça-feira, nesta cidade, a necessidade de se instalar nas Novas Centralidades geradores.

  • 27/05/2014 18:49:36

    Huíla: Casal embriagado asfixia filho

    Lubango - Um casal residente no município dos Gambos asfixiou, segunda-feira, nesta localidade, ao dormir, o seu filho de quatro meses, depois de consumir álcool em excesso.

  • 27/05/2014 13:53:41

    Huíla: Mais de seis mil funcionários serão enquadrados nos sectores da Saúde e Educação

    Lubango - Seis mil e 211 novos funcionários, dos 15 mil e 211 previstos, serão enquadrados, este ano, nos sectores da Educação e Saúde da província da Huíla, no quadro de um programa de recrutamento de novo pessoal, informou hoje, terça-feira, no Lubango, o secretario do governo local, António Ndassindondjo.