Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

17 Abril de 2012 | 10h38 - Atualizado em 24 Abril de 2012 | 09h50

Sociólogo defende estudo sobre alcoolismo na juventude

Efeméride

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Sociólogo defende estudo sobre alcoolismo

Foto: Angop

 Luanda  – O sociólogo angolano Adérito Manuel alertou hoje, terça-feira, em Luanda, para a urgente necessidade das autoridades do país fazerem um estudo profundo, a fim de se apurar em que nível a juventude angolana se encontra no tocante ao consumo de álcool.

Em declarações à Angop, a propósito do tema “o combate às drogas no seio da juventude”, Adérito Manuel frisou que nos últimos dias, o consumo de bebidas alcoólicas por parte da juventude tem demonstrado um aumento.

“Angola é um dos países onde alegadamente há excesso de consumo de álcool e a sua venda é livre, mas, com pesquisas se poderá verificar se já estamos num nível preocupante, ou estamos simplesmente diante de um fenómeno urbano”, disse.

Segundo o estudioso, algumas sociedades, por questões religiosas ou morais, impõem algumas restrições no que diz respeito a venda e ao consumo de bebidas alcoólicas, algo que Angola não tem.

Prosseguindo, o sociólogo frisou que nestas mesmas sociedades, as leis são cumpridas com bastante rigor, o que faz com que não se note um elevado nível de consumidores excessivos.

Por outro lado, Adérito Manuel referiu que a baixa de preço das bebidas alcoólicas no país que facilita o seu acesso por pessoas de vários estratos da sociedade, também pode ser apontado como uma das hipóteses para este mal.

“Se nós não diagnosticarmos suficientemente o problema do consumo de álcool a nível da juventude, se passarmos por cima disso como se nada estivesse a acontecer, ou se apenas se abordar  numa visão parcial e muito subjectiva, no futuro poderemos estar numa situação bem mais complicada do que a presente”, alertou o estudioso.

Ainda em relação ao assunto, no presente mês, alguns cidadãos angolanos, numa ronda efectuada pela Angola, sugeriram ao Governo Provincial de Luanda, no sentido de criar mecanismos para o combate o alcoolismo no seio da juventude.

Na ronda, feita aos mercados de São Paulo, Congolenses e aos armazéns de venda de mercadorias a grosso, os entrevistados afirmaram que o álcool, nos últimos anos, tem atingido contornos preocupantes para a sociedade, atendendo ao número de jovens e menores a consumirem por excesso. 

O álcool apresenta alterações de comportamento no seio dos seres humanos, por consumo excessivo e posteriormente causa problemas de saúde crónicos e graves a alguns utentes.