Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Sociedade

27 Março de 2001 | 20h07

-

Lisboa

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Lisboa, 27/03 (da delegação da Angop) - Os passaportes antigosemitidos pela ex-Direcção Nacional de Emigração e Fronteiras de Angola (Dnefa) deixarão de ter validade em Portugal a partir de Abrilpróximo, soube hoje a Angop de fonte consular.

O processo de emissão de novos passaportes teve início no passadomês de Fevereiro nas áreas de jurisdição dos consulados-gerais deLisboa e Porto, mas antes foi realizado um apurado trabalho desensibilização junto da comunidade, o qual contou com o apoio dasdiferentes associações de angolanos existentes em terras lusas.

De acordo com o segundo secretário dos serviços consulares,Eliseu Bumba, "mais de 300 processos foram já enviados à Direcção Nacional dos Serviços de Migração e Estrangeiros (Sme), para avaliação e posterior emissão (novos) ou troca de passaportesantigos, no caso daqueles que já o possuíam".

Nos últimos dias, acrescentou a mesma fonte, mais de 100 cidadãosangolanos têm ocorrido diariamente aos guinches da Embaixada de Angolaem Portugal, para darem entrada dos seus respectivos processos.

Neste momento, mais de mil processos estão concluídos e prontos para serem enviados ao Sme, embora exista a possibilidade destenúmero crescer até ao final desta semana, a julgar pelo crescenteafluxo de pessoas interessadas em adquirir o novo passaporte, disse.

Embora o processo esteja a correr da melhor maneira, a fonteadmitiu contudo existirem ainda algumas dificuldades, sobretudonas pessoas que, por terem deixado o país há muitos anos, nãoconseguem concluir os seus processos por várias razões, para alémdos que foram impedidos por apresentarem documentação falsa.

O consulado-geral de Lisboa e sul de Portugal tem inscrito mais de trinta mil cidadãos angolanos, distribuídos em várias localidades dessa área de jurisdição.