Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

25 Abril de 2009 | 14h50 - Atualizado em 25 Abril de 2009 | 14h49

Grávidas aconselhadas a observarem cuidados higiénicos para evitarem o paludismo

Luanda

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar


Luanda - Várias mulheres grávidas foram aconselhadas hoje, sábado, no município do Sambizanga, em Luanda, a prestarem atenção sobre os cuidados a terem com a higiene do meio ambiente, por formas a evitarem doenças como o paludismo, provocado por animais nocivos.

O apelo foi feito pelo técnico de saúde pública, André Marcos, durante uma palestra subordinada ao tema "A malária na gravidez", organizada pelo núcleo de agentes comunitários de saúde comunitária do bairro Campismo, com o objectivo de informar às mulheres, as causas, consequências e formas de prevenção da malária, vulgo paludismo.

De acordo com André Marcos, a malária é uma doença que tem causado muitas mortes entre as grávidas e crianças menores de cinco anos, as vezes por própria negligência dos cidadãos que não cuidam devidamente o seu meio envolvente.


André Marcos apelou as senhoras a evitarem a aglomeração de águas paradas e de lixo, bem como a mudança num espaço de três em três dias, das águas dos vasos de plantas, para evitar a reprodução das larvas dos mosquitos nestes locais.

Disse que de entre os vários sintomas do paludismo, destacam-se a dor de cabeça, dor nas articulações, em todo o corpo e febres altas, que a pessoa ao senti-las deve de imediato acorrer para o posto médico mais próximo.

A ignorância das medidas preventiva da doença, disse, têm como consequências a transmissão da doença da mãe grávida para o filho, o possível parto precoce, desenvolvimento da anemia, pouco peso do bebé e a morte.

Segundo André Marcos, geralmente as crianças que nascem com paludismo transmitido pelas mães, têm um crescimento débil, fraca capacidade de assimilação e a falta de apetite.

Para se evitar a contaminação do paludismo, os agentes comunitários de saúde do bairro Campismo ofereceram durante a palestra, vários mosquiteiros impregnados.

Assuntos Província » Luanda  

Leia também
  • 22/08/2013 20:02:41

    Trabalhadores da Fibrex enaltecem esforços da empresa na melhoria da saúde

    O reconhecimento foi feito quando falavam à Angop a margem da realização da campanha do Centro de Segurança e Saúde no Trabalho (CSST), que decorre pela terceira vez na Fibrex para submeter 100 funcionários a exames médicos e participarem em palestras sobre segurança e acidentes no trabalho. ...

  • 22/08/2013 19:01:03

    Responsável considera diálogo com filhos uma forma de evitar gravidez precoce

    Em declarações à Angop, o responsável disse que a adolescência que vai entre os 13 a 18 anos de idade, é uma fase de transição bastante complexa, do ponto de vista das alterações físicas assim como das condições psicológicas. "É também o período conturbado de muitas dúvidas, inquietações ...

  • 22/08/2013 18:46:32

    Alimentação equilibrada na gravidez pode prevenir doenças no bebé

    Em declarações à Angop sobre “O cuidado a se ter durante a gestação”, a especialista reforçou que a alimentação equilibrada é um hábito que se deve ter durante toda a vida. “Sabemos que não é uma tarefa fácil, pois a cada dia temos menos tempo para sentar à mesa para um bom almoço, ...

  • 22/08/2013 18:43:48

    Hospital Sanatório de Luanda realiza Jornadas Científicas sobre tuberculose

    Em declarações à Angop, o director clínico do Hospital, João Shiwana, disse que os trabalhos e experiências a serem apresentados vão destacar a sua importância no processo de fortalecimentos de políticas dos cuidados de saúde, em particular no combate à tuberculose e ao VIH/Sida. ...