Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Saúde

19 Junho de 2007 | 12h33

Huambo: Construída central de produção de oxigénio

Huambo

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Huambo, 19/06 – Uma central de produção de oxigénio medicinal para o Hospital Central do Huambo, com a capacidade para 800 camas foi construída, no âmbito do projecto de reabilitação da unidade hospitalar, em curso desde Outubro do ano passado.

Construída na parte externa do hospital, a central vai passar a produzir oxigénio medicinal para atender sobretudo os pacientes internados no bloco operatório, reanimação berçário e em algumas enfermarias.

O administrador do Hospital Central, Alexandre Calopa, sem avançar a capacidade de produção de oxigénio da referida central, deu a conhecer que mensalmente gastam mais de 16 botijas que são adquiridas na empresa local de gás comprimido “Angases”.

O sistema de funcionamento da referida central já está estruturado, faltando apenas o acabamento das obras e apetrechamento com meios diversos.

A cargo da empresa de construção civil chinesa “Sinohidrocorporation”, as obras da unidade hospitalar tem a duração de 24 meses, e estão orçadas em 36 milhões 520 mil e 329 dólares norte-americanos disponibilizados pelo governo central, no âmbito do programa de investimentos públicos.

Até a presente data, as obras já foram executadas a 35 por cento, de acordo com o responsável da empresa fiscalizadora, José António Limo.

De acordo com a fonte, as obras registam um “ligeiro” atraso, uma vez que a maioria dos operários estão engajados na montagem de cinco naves para a acomodação dos restantes pacientes que ainda ocupam parte do hospital central.

Nova cobertura foram colocadas na maternidade do hospital, o bloco operatório, a cozinha e lavandaria, para além da reinstalação do novo sistema eléctrico, de esgoto e água.

Tão logo termine a reabilitação e apetrechamento do hospital regional da cidade do Huambo serão abertas ao público outras especialidades, como as de dermatologia e maxlofacial.

O projecto de melhoria dos serviços de saúde prestados a população em curso na província inscreve ainda a construção de dois centros de saúde e um hospital municipal.

Dos dois centros de saúde previstos, um já está a ser construído no bairro de Casseque, a cerca de 10 quilómetros a oeste da cidade do Huambo.

A província do Huambo conta actualmente com oito hospitais, incluindo nos municípios do interior, 49 centros e 78 postos de saúde.

Neste momento encontram-se em fase de conclusão os hospitais municipal de Longonjo, Tchicacala-Tcholohanga e Bailundo.

A malária, doenças respiratórias e diarreicas agudas, são, dentre outras, as principais doenças que assolam esta região do planalto de Angola.