Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

15 Maio de 2012 | 18h53 - Atualizado em 15 Maio de 2012 | 20h07

MAT transfere ficheiro central do registo eleitoral à CNE

Eleições2012

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Logotipo da CNE

Luanda - O Ministério da Administração do Território (MAT) procedeu nesta terça-feira, na capital do país, Luanda, a transferência da custódia do Ficheiro Central Informático do Registo Eleitoral (FICRE) à Comissão Nacional Eleitoral (CNE), cumprindo, deste modo, com o artigo 211º da Lei orgânica sobre as Eleições Gerais.

O acto formal de entrega dos referidos dados foi feito pelo ministro da Administração do Território, Bornito de Sousa, à presidente daquele órgão, Suzana Nicolau Inglês, após a assinatura de um termo de entrega do ficheiro.

Logo após à assinatura, Bornito de Sousa procedeu a entrega de uma pasta contendo o FICRE com os dados de nove milhões e 790 mil eleitores, e outra com o relatório final do registo eleitoral, bem como a sua actualização, correspondente ao ano de 2011 e 2012.

Na ocasião, foi feita uma apresentação demonstrativa do conteúdo do ficheiro, assim como do relatório final do registo eleitoral.

“Estamos disponíveis para colaborar com a CNE, nas tarefas do mapeamento das assembleias de voto, bem como continuar a cooperar na formatação da sequência da realização do processo de auditoria do FICRE, conforme determinado pela Lei”, disse

Bornito de Sousa.

A Lei Orgânica sobre as Eleições Gerais prescreve, no seu artigo 221, que os programas informáticos, a base de dados, a memória institucional e demais elementos relativos ao registo eleitoral em posse do Ministério da Administração do Território (MAT) serão transferidos para a CNE até 15 de Maio de 2012.

Segundo a mesma Lei, a transferência do FICRE deve ser precedida de uma auditoria realizada por uma entidade especializada, independente e controlada pela Comissão Nacional Eleitoral.