Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

15 Setembro de 2011 | 19h35 - Atualizado em 16 Setembro de 2011 | 15h41

OMA rende homenagem a Maria da Conceição Boavida

Homenagem

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Co-fundadora da Organização da Mulher Angolana, Maria da Conceição Boavida.

Foto: angop

Luanda - A Organização da Mulher Angolana (OMA), por intermédio da sua secretária-geral, Luzia Inglês "Inga", homenageou hoje, quinta-feira, em Luanda, a sua co-fundadora Conceição Boavida, numa cerimónia que teve lugar na sede da organização.

Na ocasião, Luzia Inglês, que é igualmente membro do Bureau Político do MPLA, considerou Conceição Boavida, de 88 anos de idade e viuva do médico e nacionalista Américo Boavida, como “uma figura que contribuiu para a organização desde o seu surgimento”.


Acrescentou que ela fez parte do pensamento que deu lugar ao surgimento da OMA.


No final da cerimónia e questionada sobre os apoios institucionais à viúva do médico guerrilheiro Américo Boavida, frisou que na qualidade de reformada usufrui do “fundo de pensão” e da “pensão do antigo combatente”.


Por seu lado, a homenageada disse à imprensa que “não queria que isso acontecesse. Não queria que o fizessem, fiz tanto para que não acontecesse, mas não deu (…), por isso estou aqui para agradecer”.


Visivelmente acometida pela idade, (88 anos), lembrou que foi uma das fundadoras da OMA.


“Costumo dizer que a OMA foi gerada em Conacry e nascida em Leopoldeville. Nós fizemos muita coisa (…), programas de rádio e, principalmente, os boletins que mandávamos para várias partes do mundo”, recordou com sorriso.


Maria da Conceição Boavida nasceu em Agosto de 1923, dois meses antes do falecido esposo (Novembro do mesmo ano).


Antes do corte do bolo preparado em sua homenagem, a anciã recebeu das mãos da secretaria-geral da OMA um certificado e medalha de condecoração que símboliza os 50 anos de militância no seu partido, além de um “plasma”.