Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

01 Novembro de 2010 | 15h47 - Actualizado em 01 Novembro de 2010 | 16h06

Ministro do Interior confere posse a novos responsáveis

Empossamento

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Novos responsáveis do Ministério do Interior

Foto: Angop

Luanda - O ministro do Interior, Sebastião Martins, conferiu hoje, segunda-feira, em Luanda, posse ao novo inspector-geral do pelouro, Fernando Torres Vaz da Conceição "Mussolo", e ao director nacional do Serviço de Migração e Estrangeiros (SME), João Maria de Freitas Neto, recentemente nomeados.

Na cerimónia, tomaram igualmente posse Ermenegildo José Feliz, para o cargo de inspector-geral adjunto para área de Finanças do órgão, enquanto Jorge de Mendonça Pereira, então responsável dos Serviços Prisionais dirige agora o Gabinete de Estudos Informação e Análise do Ministério do Interior.

Para os Serviços Prisionais foi nomeado o comissário Domingos Ferreira de Andrade, enquanto António Vicente Gime, também comissário, tomou posse como director do Serviço de Bombeiros e Protecção Civil.

O ministro do Interior conferiu ainda posse aos novos directores nacionais de Finanças e Logística do pelouro, respectivamente, Paulo Alexandre Molares Lopes e Joaquim Coimbra Maciel.

Carlos Alberto Gonçalves é o novo assesor de Imprensa do Ministério do Interior, enquanto Mário António Rodrigues da Silva Neto vai dirigir o Gabinete do ministro do Interior.

Aos novos responsáveis, o ministro do Interior pediu lealdade e dedicação às missões as quais lhes foram confiadas.

"Ao serem escolhidos para as funções que agora assumem, fizemos seguros de que estávamos apostar em oficiais e quadros com provas, méritos e competências já dadas nos diferentes órgãos do ministério e não só, onde tiveram o privilégio de laborar enquanto servidores públicos", notou.

Sebastião Martins disse ser necessário trabalhar com eficácia e eficiência para não falhar, "porque a sociedade clama por mais segurança, por melhores e mais eficientes serviços, no âmbito da protecção das pessoas, dos bens e do património colectivo e individual".

A seu ver, a sociedade espera por uma presença mais visível e eficaz das forças da ordem interna, particularmente as forças policiais que, com a sua capacidade de reação  assumam de facto um papel preventivo capaz de garantir ou sustentar o verdadeiro sentimento de segurança aos cidadãos.

"Por isso, temos a certeza que darão mais uma vez o vosso melhor para continuação de um trabalho que agora nos cabe perseguir mas que, como é natural, nos é requerido que o levemos para uma dimensão maior", disse o ministro quando se dirigia aos novos responsáveis.