Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

30 Setembro de 2009 | 13h41 - Actualizado em 30 Setembro de 2009 | 14h02

Efectivos dos Serviços Prisionais capacitados em segurança e controlo penal

Formação

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Efectivos dos Serviços Prisionais em parada

Foto: Angop

Luanda - Cento e oitenta e dois quadros dos Serviços Prisonais concluíram, esta quarta-feira, em Luanda, cursos de especalistas de segurança penal, reeducação, controlo penal e básico de técnica penitenciária, em acto presidido pelo director nacional adjunto do órgão, António Gaspar Fernandes.


Os cursos, decorridos na Escola Nacional de Técnica Penitenciária, em Luanda, duraram cinco meses, e foram ministrados por especialistas cubanos do ramo, no âmbito dos acordos de assistência técnica e formação de quadros rubricados entre os ministérios do Interior de Angola e da República de Cuba. 


A formação contemplou efectivos de ambos os sexos provenientes dos diversos estabelecimentos prisionais do país, com maior representatividade para as províncias de Luanda e Benguela.


Os particpantes lidaram com 10 disciplinas, com destaque para a psicologia e segurança prisional, técnica penitenciária, direitos humanos e educação moral e cívica.


O director nacional adjunto dos Serviços Prisionais, Gaspar Fernandes, disse que os conhecimentos adquiridos servirão para dotar com maior responsablidade os especialistas deste órgão do Ministério do Interior, ao qual compete a execução das penas e medidas privativas de liberdade decretadas pelos tribunais aos cidadãos que se desviaram das normas de boa convivência.


Segundo o responsável, na actual conjuntura do país, em que se assiste ao crescimento económico nas diversas áreas, os Serviços Prisionais não se poderiam dissociar deste pressuposto nas especialidades do órgão, contribuindo para a boa execução das penas privativas de liberdade, reeducação e regeneração dos reclusos.


Destacou igualmente os esforços dos prelectores cubanos na disseminação do saber prisional durante a formação.  


Entretanto, o representante da missão cubana em Angola, coronel Inâcio Cavalero Garcia, manifestou o interesse do seu país continuar a contribuir para o desenvolvimento do sector prisional angolano.


A par desta formação, frisou, ao total a missão cubana graduou já 160 especialistas, sendo 32 formadores, 31 quadros de reeducação penal, 35 de segurança e ordem interna e 63 em controlo penal.


O acto, presenciado por altos funcionários do Ministério do Interior, foi marcado com a entrega simbólica de certificados e desfile das tropas em parada.

Assuntos Província » Luanda  

Leia também