Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Política

15 Agosto de 2004 | 13h37

Alunos consideram fáceis as provas de Frequência

Luanda

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda, 15/08 - Estudantes de diferentes escolas do I, II e III níveis e de alguns institutos médios da capital do país manifestaram o seu contentamento pelo conteúdo das provas de frequência do segundo trimestre, realizadas de 09 a 13 de Agosto deste ano, por serem fáceis.

Contactados pela Angop, os alunos das escolas Primeiro de Maio, Ngola Kiluange, Juventude em Luta, Rei Mandume, NjingaMbandi, Ngola Zinga, 506, Instituto Médio Industrial de Luanda, e dos colégios Elizângela Filomena e do Grupo Santana, foram unânimes em afirmar que as provas de frequência foram muito fáceis.

De acordo com Aurora George, estudante da sétima classe na escola Njinga Mbande, as provas estiveram mais acessíveis em relação as do primeiro trimestre, visto que as perguntas saídas das diveras provas constavam da matéria dada, até agora.

Acrescentou que, as provas só estavam difíceis para quem não estudou ou não tem a matéria em dia. No entanto, disse terem sido uma "canja", apesar de ser fraca a Matemática.

José Fernando, do Ngola Kiluange (oitava classe), considerou as mesmas de facílimas, pese embora ser mau aluno em certas discíplinas práticas, como Matemática,Química e Física, das quais, segundo ele, ser  capaz de obter negativas ou notas de "misericórdia" (9,5-10 valores).

Clarice Domingos João, aluna do Primeiro de Maio, com uma cara de insatisfação, lamentou o facto de não ter estudado sériamente, o que a levou a sublinhar que as provas correram-lhe muito mal, contradizendo as demais opiniões.

"Nem mesmo a as provas de Biologia, Língua Portuguesa e Geografia, cadeiras que eu domino, correram bem", desabafou,dando a conhecer que no primeiro trimestre aprovou, aguardando pelos resultados do segundo, mas que o terceiro será  melhor.

Para Teresa de Jesus, da escola Número 506 (5ª classe), não houve nenhuma diferença entre as provas do segundo e as do primeiro trimestre, porque estiveram no seu alcance e que nunca se sentiu despreparada para a realização de qualquer teste.

Disse ser considerada, pelas colegas, como a mais "barra" da turma,visto que, desde o arranque do ano lectivo, só teve duas negativas: uma de sete, a desenho, e outra de nove, a Matemática.

Américo Mourinho, do Instituto Médio Industrial de Luanda, alunoqualificante, tal qual os estudantes do Juventude em Luta, Ngola Njinga e do Rei Mandume, disse que o bom aluno é aquele que todos os dias revisa a matéria, a fim de encarar todas as provas da mesma maneira.

Os alunos da nona e décima classes dos colégios Elizângela Filomena e do Grupo Santana são de opinião de que ninguém entrapara a escola com o objectivo de reprovar, porquanto, quem não está  em condições de estudar não se matricula. E, para nós que pagamos por m~es (valor monetário não especificados), acrescentaram, ficá-nos complicadoreprovar.

Segundo alguns calendários de provas do ensino de base que Angop teve acesso, os alunos do I nível fizeram a de Língua Portuguesa, Matemática e Ciências Integradas, na segunda, terça e quarta-feira, ao passo que os do II realizaram as de Português (segunda-feira), Ciência e Geografia (terça), Matemática (quarta), E.V.P (quinta)História e Moral e Cívica, na sexta.

Os estudantes do terceiro nível (sétima e oitava classes) fizeramduas provas por dia, sendo Português e Biologia, na segunda-feira, Química e Geografia (terça), Matemática e Moral (quarta), LínguaEstrangeira e E.V.P (quinta), Física e História - sexta.

Dividido em trimestre, o ano lectivo 2004/2005 iniciou a cinco de Fevereiro e tem o término previsto para o dia 29 de Novembro, incluindo no primeiro semestre a Avaliação Interna - sem interrupção das aulas, realizada de 12 a 16 de Abril, as Provas de Frequências - 26a 30 deste mesmo mês e os exames especiais (de três a sete de Maio).

O segundo trimestre, 17 de Maio a 20 de Agosto, também contou com a realização da Avaliação Interna de 14 a 18 de Junho, bem como das Provas de Frequências.

Para o terceiro trimestre, cujo período lectivo arranca no dia 30 deAgosto, está  agendado, de igual modo, a realização da Avaliação Interna (25 a 29 de Outubro), Frequência (15 a 19 de Novembro), Exames Finais (23 a 29 de Novembro), Exames Orais (15 a 19, também de Novembro).

A correcção e afixação das pautas acontecem de sete a 17 de Dezembro, enquanto os Exames de recurso e Especiais serão realizados de seis a dez deste mês. As pautas finais estarão coladas dede sete a 17 de Dezembro.

A Avaliação Interna a uma prova idêntica as parcelares, que entrou em vigor este ano, substituindo as de Bloco. A mesma, deve ser realizada (obrigatoriamente) dois meses depois do arranque de cada trimestre, sem qualquer interrupção das aulas.