Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

07 Junho de 2012 | 13h27 - Atualizado em 07 Junho de 2012 | 13h26

Destacada importância da preservação do património cultural angolano

Conferência

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda  – O critico de arte Felipe Vidal, exortou hoje, quinta-feira, a preservação do património cultural angolano, no que tange as línguas nacionais, rituais tradicionais e o corpo fito-medicinal angolano.

Felipe Vidal fez esta afirmação à imprensa a propósito do tema “Educação Patrimonial e as Politicas Públicas para o Património Cultural”, no V painel da Conferência Internacional de Educação Patrimonial e sua Gestão, Desafios, Estratégias e Experiências.

“Importa dizer que a nossa constituição diz que o estado protege o património cultural e o património histórico angolano, mas também é preciso dizer que o património não é só material mas também espiritual”, referiu

O também professor de história e antropologia fez saber que a segunda identidade de um povo é a língua e, por isso, devem ser resgatadas as línguas nacionais. O governo, através da reforma educativa, vai introduzindo-as no currículo escolar.

Segundo o historiador, é possível ter para além do português uma segunda língua nacional que una mais o povo angolano, porque a história social e cultural assim o permite.

"Vale dizer que as leis dizem que nada que está subjacente a identidade cultural e que não lese a constituição é postergado, pois, deveria haver um plebiscito para que se possa encontrar uma segunda língua veicular que nos identifica como angolanos autóctones", sublinhou.

A conferência internacional sobre “Educação patrimonial e sua gestão”, que iniciou quarta-feira e vai até sexta-feira, tem como objectivo principal a reflexão e construção conjunta de uma estratégia para investigação sócio-cultural e científica sobre os bens do património cultural e natural angolano.

Participam da conferência especialistas nacionais e estrangeiros provenientes de Portugal, Espanha, Brasil e Inglaterra.