Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Lazer e Cultura

26 Agosto de 2006 | 04h02

Escritor Pedro Pacavira lança obra ´JES - Uma vida em prol da Pátria`

Luanda

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda, 26/08 - O escritor e embaixador de Angola na Itália, Manuel Pedro Pacavira lança hoje, às 15 horas, no Instituto Nacional de Estudos Judiciários(INEJ), em Luanda, o livro de depoimento intitulado " JES (José Eduardo dos Santos)-Uma vida em prol da Pátria", em alusão ao 64º aniversário do Presidente da República.

Uma nota de imprensa da editora Nzila, a quem coube a edição deste livro de 64 páginas e com uma tiragem de 2000 exemplares (ilustrada com fotografias do Presidente da República em diversos eventos) retrata o percurso do PR em prol do seu país e povo.

O escritor começa por se debruçar sobre o primeiro contacto que teve com o PR, em 1955/1956, na altura José Eduardo dos Santos no Liceu Salvador Correia e ele no Colégio da Casa das Beiras, onde destaca um grupo de amigos mais íntimos do PR, onde constam nomes como Pedro Van-Dúnem Loy, irmãos Santiago, Samuel Bernardo e Brito Sozinho.

Pelo seu lado, Pedro Pacavira mencionou nomes como os de José Miguel Manuel Francisco, Francisco Magalhães Paiva, David "Mieta" Viegas Ernesto Ramos, Fernando Brito, Francisco Tiago da Silva, Bernardino Andrade, Domingos de Suosa e o seu mano Arsénio.

Estes e tantos outros moravam em bairros como Operário (Sambizanga), Rangel, Estrada da Brigada, Marçal, Bairro dos Gongolenses e Cemitério Novo.

Com os "trumunos" do Bairro Operário, no campo do Machado, no Marçal, no Bairro Alfredo do Musseque Sambizanga faziam parte do quotidiano fora da escola: uns a jogar, outros a assistir.

"Unidos do Bairro era um clube de bairro que integrava na sua imensa maioria rapazes do Salvador Correia e Zé Eduardo já era uma atração digna de apreço, muito habilidoso, marcando sempre golos, sem molestar ninguém", referiu.

Aspectos relevantes como a trajectória política pelos caminhos da independência, da paz nacional e regional estão mencionados na obra de Pedro Pacavira.

"Cumpridas as exéquias fúnebres...estava à altura de substituir o presidente Neto. Nunca se pensou em Lúcio Lara, nem ele próprio terá pensado em si mesmo, pois se considerava fatalmente homem do partido, para o partido.Também não houve notícia que o ministro do Plano, José Eduardo dos Santos, indiciasse sinais e apetências para o alto cargo", asseverou.

Pedro Pacavira faz saber que houve dentro do partido, cada qual a seu gesto, a escolha deste ou daquele como presidente, uns citavam nomes como Lukoky, Luvualu, Pedalé e outros com muito mais espaço sustentavam a escolha do camarada Zé Eduardo como a pessoa certa para o lugar certo.

Ao fim a cabo, de acordo com Pedro Pacavira " Tudo e todos por Zé Eduardo, na mais completa serenidade!".

Pedro Pacavira, nascido aos 14 de Outubro de 1939, no Gulungo Alto, Kwanza Norte, é escritor e já ocupou vários cargos, como de ministro e governador, bem como representante de Angola junto das Nações Unidas (1988-1991). Actualmente é embaixador de Angola na Itália.