Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

06 Novembro de 2008 | 16h34 - Atualizado em 07 Novembro de 2008 | 11h49

INABE aumenta número de bolseiros internos

Ensino

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda - O Instituto Nacional de Bolsas de Estudo (INABE) pretende no próximo ano lectivo aumentar o número de bolsas internas, possibilitando a mais seis mil pessoas ingressarem neste processo.

Esta informação foi prestada hoje pelo director geral dessa instituição, Jesus Joaquim Baptista, em entrevista exclusiva à Angop referindo que esta acção visa permitir aos alunos com notas altas e com poucos recursos financeiros darem continuidade aos seus estudos.

De acordo com o responsável, no ano lectivo que está prestes a findar três mil alunos beneficiaram em todo o país de bolsas internas, cujo aproveitamento vai ser em Dezembro avaliado pelo instituto que dirige.

Jesus Baptista frisou que no âmbito das novas tarefas do INABE todos os candidatos a bolsas de estudo, para além das notas obtidas no ano lectivo serão submetidos a testes.

"Vamos ser rigorosos no acompanhamento dos estudantes internos e externos, contudo iremos criar todas as condições para que os mesmos possam estudar sem sobressaltos", frisou.

Informou que os candidatos a bolsas de estudo para o ensino superior devem ter idade compreendida entre os 22 e 35 anos de idade e se dará prioridade a especialidades que contribuam na reconstrução nacional, nomeadamente educação, medicina, ciências exactas e engenharia.

Segundo o Director geral do INABE a concessão de bolsas de estudo visam essencialmente eliminar as assimetrias existentes entre as províncias no que concerne a formação de quadros de nível superior e médio.

Neste sentido referiu que no próximo ano vai-se realizar um whorkshop para analisar as formas de melhor apoiar os estudantes bolseiros e trocar impressões com docentes de outros países, visando a recolha de subsídios que permitam dentro de 5 a 10 anos tornar Angola um país também com potencialidades no que concerne a quadros formados.

"Pretendemos que brevemente Angola alcance os níveis obtidos pela África do Sul, Brasil e Egipto no que concerne a quadros formados em áreas que contribuam para o desenvolvimento do país", realçou.

De referir que o INABE vai realizar contactos com 22 países com vista ao envio de estudantes para a sua formação superior e pós-graduação em várias áreas do saber.