Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

15 Janeiro de 2013 | 10h25 - Actualizado em 15 Janeiro de 2013 | 10h24

Instituto de Petróleos do Sumbe lança para mercado 130 técnicos

Kwanza Sul

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Sumbe - O Instituto Nacional de Petróleos do Sumbe, na província do Kwanza Sul, lançou para o mercado de emprego, em 2012, 130 técnicos médios nas especialidades de Mecânica de Manutenção Industrial, Perfuração e Produção e Geologia e Minas, informou hoje, terça-feira, o director do instituto, Domingos Francisco.

O director, que falava à Angop, a propósito da escolha do instituto para a realização do conselho técnico do Ministério da Educação (MED), fez saber que a instituição tem protocolo com todas as empress petrolíferas que operam no mercado angolano para o recrutamento.

Com capacidade para 600 alunos, todos em regime de internato, o instituto lecciona os cursos de Geologia Petrolífera, Geologia e Minas, Perfuração e Produção, Processamento de Gás, Refinação, Instrumentação Petrolífera e Mecânica de Instalação Petrolífera.

Conta ainda com formação profissional, de instrumentação, electricidade industrial, mecânica e manutenção, operadores de produção, operadores de refinaria, mecânica de frio e inglês.

Para o director, o leque formativo diversificado que a escola oferece, expresso nos cursos ministrados, proporciona aos formandos uma rápida inserção na vida activa e, simultaneamente o desenvolvimento e a modernização do país.

"A missão que está atribuida ao instituto tem ainda importantes desafios a vencer, por isso apesar dos resultados alcançados, é um imperativo da instituição o compromisso com a transparência e a qualidade, e a construçã de uma escola petrolífera do ensino superior em parceria com o Ministerio dos Petróleos", frisou.

Leia também