Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Educação

09 Abril de 2007 | 17h00

Universidade Gregório Semedo constrói complexo universitário

Luanda

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda, 09/04 - Um campus universitário, que vai comportar quatro faculdades com capacidade para albergar 2500 alunos em cada turno, está a ser construído em Luanda, pela Universidade Gregório Semedo (UGS), informou à Angop o reitor da instituição, José Semedo.

De acordo com o reitor, o campus, cujas obras iniciaram em 2006, está a ser erguido no bairro Morro Bento em Luanda, numa área de 15 mil metros quadrados, prevendo-se a sua conclusão nos próximos seis meses.

Além dos edifícios para as quatro faculdades, Direito, Engenharia, Gestão e Marketing, José Semedo informou que no complexo haverá um campo gimno desportivo, restaurante, espaços de lazer, biblioteca e laboratórios equipados, um auditório, dois anfiteatros, outras estruturas administrativas e parque de estacionamento, acrescentando que toda a área será coberta por um sistema de warless para o acesso à internet.

Até a conclusão do projecto, as aulas estão a ser ministradas num edifício de quatro andares arrendado pela instituição.

Falando do funciomanento da UGS, o responsável refere ser este um projecto sério de aposta num ensino superior de qualidade e em menos tempo, uma vez que todos os cursos aí leccionados, Direito, Engenharia Informática, Informática de Gestão, Organização e Gestão de Empresas, Gestão de Recursos Humanos, Comercial e Marketing, sendo o último de especialidade, têm a duração de quatro anos.

Segundo o reitor, a institucionalização desta Universidade em Março deste ano pelo Governo angolano é uma prova da seriedade e de confiança neste projecto educacional, iniciado há mais de três anos.

Na sua óptica, o mais importante é formar com qualidade e em tempo útil para que os quadros possam atender as necessidades imediatas do país.

"O curso superior tem de estar virado para as necessidades de reconstrução do país e adequar o seu conteúdo as necessidades das empresas, pois senão vamos formar para odesemprego", salientou.

Como docente universitário há mais de 20 anos afirma que deve existir uma maior interação entre o Estado, as empresas e os quadros colocados no mercado pelas mais diversas instituições de ensino superior.

Apesar de ser uma área chave para o desenvolvimento do país, José Semedo reconhece haver pouco incentivo para as pessoas que pretendam investir neste domínio.

" Nós que estamos no ensino devíamos ser vistos como verdadeiros parceiros estratégicos do governo e não como mero negociantes. O estado deve criar um ambiente macro económico incentivador para o ensino superior, medidas jurídico legais, pois sozinho não consegue resolver os problemas a nível deste subsistema de ensino" .

Para solucionar o problema a nível do corpo docente, a UGS tem procurado cativar os professores para que se dediquem exclusivamente à educação e a instituição, dando-lhes boas condições materiais e de trabalho, bem como a possibilidade de adquirirem casa própria.

Relativamente a aquisição de residências, referiu que a instituição está no domínio imobiliário e da construção civil e a prioridade na aquisição das residências recai para os professores.

Faz igualmente parte desta política de criação de um corpo docente exclusivo, a formaçãopós graduada nas diversas áreas existentes. Ainda este ano arranca a formação pedagógica interna dos docentes.

Prevê-se para 2008, o curso de pós graduação e mestrado no país nos ramos do Direito e Gestão de Empresas em colaboração com universidades estrangeiras. Tem estabelecido acordos com as Universidades do Minho e Moderna, ambas de Portugal.

Constam dos projectos, a criação de uma escola de Direito de referência em Angola com a participação da Universidade do Minho.

Ainda no ramo do Direito, a instituição tem já abertas especialidades em direito empresarial e do comércio internacional, estando prevista, para este ano, a especialização na área judiciária.

Com um total de 60 professores, a UGS tem cerca de 1600 alunos matriculados no 2º, 3º e 4º ano. Este ano tem uma média de 800 vagas para o 1º ano.

O início do ano lectivo 2007 está marcado para o dia 16 de Abril.