Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

29 Maio de 2009 | 21h39 - Atualizado em 29 Maio de 2009 | 21h37

Centro de Recursos Minerais da África Austral e Oriental reduz carência energética

Abertura da 29ª Reunião

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda – O Centro de Recursos Minerais da África Austral e Oriental (Seamic) registou uma redução significativa, este ano, de constrangimentos que a irregularidade de fornecimento de água e energia eléctrica causavam a realização dos seus trabalhos.

A informação foi dada hoje, sexta-feira, em Luanda, pelo presidente do Conselho de Governação do Seamic, William Mganga Ngeleja, quando falava na abertura da 29ª reunião do organismo.

O responsável referiu que a instituição debatia-se, há cinco anos, com "sérias" dificuldades de água e electricidade para o funcionamento dos seus laboratórios, mas desde Abril, último, foi atenuado o problema com o apoio de parceiros externos avaliado em quatro milhões de euros.

Este apoio, segundo o também ministro da Energia e dos Recursos Minerais da Tanzânia, permitiu à instituição adquirir equipamentos para os laboratórios.

Em relação ao ano fiscal 2008, William Ngeleja indicou que com o esforço dos membros o organismo conseguiu arrecadar 60 mil euros que se destinaram a manutenção e sustentabilidade dos serviços do centro.

Mencionou que, em 2008, o centro geriu 231 mil e 520 dólares, receitas arrecadas através da prestação de serviços, e que prevê obter em Maio e Junho USD 20 mil .

O presidente do conselho de governação do Seamic referiu que, no biénio 2008/2009, o organismo que dirige está a trabalhar “arduamente” com os membros do centro, com vista a assegurar a capacitação técnico-profissional dos seus quadros para a sustentabilidade do sector mineiro da região.

Constituído em 1997,o Seamic tem a sua sede na Tanzânia e presta assistência aos países membros na formação profissional de técnicos, análises laboratoriais, processamento de informação geo-científica, estudos ambientais entre outros serviços.

Participaram no encontro representantes a nível ministerial de países como Moçambique, Angola, Etiópia, Quénia, Tanzania, Uganda e o representante da Comissão Económica das Nações Unidas para África, Pancrace Niyimbona.

A 29ª reunião do Seamic terminou hoje, em Luanda, e foi presidida pelo Primeiro-ministro, Paulo Kassoma.O evento contou com a presença da Governadora de Província de Luanda, Francisca do Espírito Santo, bem como de outras individualidades.