Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

05 Julho de 2012 | 17h37 - Atualizado em 05 Julho de 2012 | 17h37

Exploração artesanal de diamantes proporciona afluxo de jovens nas áreas diamantíferas

Bié

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Andulo - A exploração artesanal de diamantes associada à falta de emprego por parte de alguns populares está a proporcionar o afluxo de jovens nas localidades diamantíferas do município do Andulo, na província do Bié.

Mais de cinco mil jovens com idades compreendidas entre os 15 e os 45 anos de idade instalaram-se na localidade de Chimbamba, localizada na confluência entre os rios Kunhinga e Kwanza, onde desenvolvem o trabalho de exploração artesanal de diamantes.

Parte dos jovens que ai se instalaram são responsáveis de famílias e não conseguem encontrar forma para sustentarem as suas famílias e fazem da exploração artesanal de diamantes o meio principal para o sustento das suas familiares.

A administradora municipal do Andulo, Maria Lúcia Ganja Chicapa, que visitou o local recentemente, manifestou a sua preocupação pelo trabalho ilegal que está ser efectuar pois, segundo ela, além dos jovens angolanos os estrangeiros também podem aproveitar-se desta fragilidade.

"É real as informações que temos vindo a receber sobre a invasão dos jovens na localidade de Chimbamba, para a exploração artesanal de diamantes e das áreas já visitadas esta é a que mais apresenta movimentação dos jovens para a exploração de diamantes", disse.

Maria Lúcia Chicapa defendeu a necessidade dos jovens legalizarem a actividade que estão a realizar sobretudo a exploração de diamantes artesanal, visando uma exploração legal.

A administradora referiu que a realidade da juventude que ali se encontra constitui preocupação, daí ser necessário trabalhar com o Executivo para se encontrar uma saída através da construção do Balcão Único do Empreededorismo (BUE) para que possam legalizar a actividade.

Assuntos Província » Bié  

Leia também
  • 19/08/2013 13:28:07

    Governo investe na construção de infra-estruturas sociais na Nhâreia

    Nhârea - Sessenta e dois milhões de Kwanzas é o montante investido pelas autoridades administrativas do município de Nhârea na construção de infra-estruturas sociais na circunscrição, inauguradas no final de semana pelo governador do Bié, Álvaro Manuel de Boavida Neto. O valor foi investido na ...

  • 16/08/2013 16:19:55

    UNACA defende mais incentivos aos camponeses

    Kuito– O representante da Confederação das Associações de Camponeses e Cooperativas Agro-pecuárias de Angola (UNACA) no Bié, Mariano Sassoma, defendeu hoje no Kuito, a necessidade de proporcionar mais incentivo aos camponeses, visando aumentar a produção e melhorar a qualidade de vida das ...

  • 11/08/2013 17:46:10

    INADEC insta consumidores a denunciar irregularidades

    Kuito - O director local do Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (INADEC) no Bié, Filipe Baptista Viana, reiterou hoje no Kuito, aos consumidores a não hesitarem em efectuarem denúncias de estabelecimentos comerciais que cometem irregularidades a nível da região. Em entrevista a Angop, o ...

  • 11/08/2013 17:40:27

    Obras sociais no Kunhinga em fase de conclusão

    Kunhinga - Trinta e duas residências contempladas no projecto de construção de cem casas destinadas a juventude do município do Kunhinga (ex – Vouga) estão já concluídas, segundo anunciou hoje a administradora local, Celeste Elavoco Adolfo. A administradora assegurou ainda que ao longo do mês ...