Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

29 Setembro de 2009 | 16h04 - Actualizado em 30 Setembro de 2009 | 09h40

Angola vai receber crédito do FMI sem pré-condições

Fundo Monetário

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministro angolano da Economia reúne com uma missão negocial do FMI

Foto: Angop

Luanda - Angola poderá receber, em breve, um crédito do Fundo Monetário Internacional (FMI), sem pré-condições, para apoiar a implementação dos projectos económicos e sociais do Govermo, anunciou nesta terça-feira, em Luanda, o ministro da Economia, Manuel Nunes Júnior.

A ser concretizado o acordo, "Angola poderá obter o maior financiamento já concedido pelo Fundo Monetário Internacional a um país da África subsahariana nos últimos tempos", afirmou o governante angolano, que falava no termo de um encontro com uma missão negocial do FMI, no país desde o passado dia 22 de Setembro.

"Este acordo é concedido sem pré-condições" e será implementado num período de 27 meses, com a supervisão do FMI.

"O programa associado a este financiamento é o próprio programa do Governo. Os objectivos e metas a alcançar são os definidos pelo Governo angolano, com especial atenção para o sector social onde a despesa do Governo para este fim nunca poderá ser inferir a 3 porcento", sublinhou o ministro da Economia.

Afirmou que "a principal consequência da crise económica e financeira internacional no nosso país foi a deterioração dos termos de troca. Com a diminuição do preço de petróleo no mercado internacional, diminuíram as receitas fiscais petrolíferas e, por conseguinte, o país passou a viver uma situação de escassez relativa de divisas", dificultando a vida daqueles que precisam da
moeda externa para transacções.

O titular da Economia frisou tratar-se de uma situação temporária, já que o preço do petróleo tem estado a recuperar e com ele o equilíbrio das contas externas e fiscais será restabelecido".


Manuel Júnior manifestou a sua satisfação pelos resultados alcançados com as negociações e disse "tratar-se de uma vitória para o nosso país e para o povo angolano, com implicações importantes, quer ao nível interno como ao nível internacional".

O financiamento, cujo valor não foi revelado, é fruto de uma solicitação feita pelo Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, em Julho passado, durante um encontro com o presidente do FMI, Dominique Straus Kahm, na cidade italiana de L'Aquila, por ocasião da reunião do G8 (Grupo dos oitos países mais desenvolvidos).

No encontro com a missão do Fundo Monetário Internacional, que se encontra em Angola desde o passado dia 22 deste mês, encabeçada por Lamin Leigh, além do ministro da Economia, Manuel Júnior, participaram os ministros das Finanças, Severim de Morais, da Indústria, Joaquim David, e o governador do Banco Nacional de Angola (BNA), Abraão Gourgel.

Uma primeira missão técnica do FMI deslocou-se a Angola em princípio de Agosto deste ano, para negociações com as autoridades angolanas.

Assuntos Província » Luanda  

Leia também
  • 30/01/2015 20:30:27

    Angola: Refriango vai fabricar garrafas plásticas

    Luanda - A empresa de produção , comercialização e distribuição de bebidas alcoólicas e não alcoólicas (Refriango) vai implementar este ano um projecto para o fabrico de pré-formas para a produção de garrafas plásticas .

  • 30/01/2015 20:28:49

    Angola: Ministra da Indústria constata funcionamento da Angolatas e Refriango

    Luanda - A ministra da Indústria, Bernarda Martins, visitou hoje, em Luanda, as empresas Angolatas e Refriango, com o objectivo de se inteirar do funcionamento das actividades dos industriais ligados a este subsector industrial.

  • 30/01/2015 20:01:26

    Angola: Produtos sem licença proibidos de entrar no país

    Luanda - Os produtos que continuarem a entrar em Angola sem primeiramente estarem licenciados, como medida disciplinar, poderão ser revertidos para os programas sociais existentes no país alertou hoje, em Luanda, a ministra do Comércio, Rosa Pacavira.

  • 30/01/2015 02:35:17

    Realizado encontro com empresas membro da AECIPA

    Luanda - Um encontro com as empresas membro da Associação das Empresas Contratadas da Indústria Petrolífera Angolana (AECIPA), que visou esclarecer questões relacionadas à emissão e renovação dos vários tipos de vistos, entre outras questões, foi realizado quinta-feira, em Luanda, em colaboração com os Serviços de Migração e Estrangeiros e o Ministério dos Petróleos.