Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

16 Setembro de 2009 | 16h12 - Actualizado em 16 Setembro de 2009 | 18h22

Qualidade do diamante angolano garante procura internacional

Mercado

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Qualidade dos diamantes nacionais têm contribuído para a sua permanência no mercado internacional

Foto: Angop

Luanda – A qualidade do diamante produzido em Angola, como por exemplo o jóia, tem garantido, relativamente, a procura internacional das pedras preciosas produzidas no país, disse nesta quarta-feira, em Luanda, o administrador da Endiama para a área do planeamento estrangeiro e investimento, Tiago Dias.

De acordo com o administrador da Empresa Nacional de Diamantes de Angola (Endiama), que falava à Angop, à margem do seminário sobre “As potencialidades diamantíferas de Angola”, a diversidade produtiva e a qualidade dos diamantes nacionais têm contribuído para a sua permanência no mercado internacional de vendas face ao actual contexto da crise económica e financeira mundial.

“Felizmente o diamante é um produto bastante pretendido e Angola tem a sorte de ter jazigos primários e secundários. Os jazigos secundários produzem o diamante jóia, que é bastante raro em vários países africanos, e nós temos sido muito solicitados na procura deste diamante”, disse o administrador, reiterando que o mercado mundial continua crítico para a indústria diamantífera.

Referiu, contudo, estar optimista que haja uma tendência positiva no mercado de vendas internacional com o aproximar da época natalícia, onde os consumidores de regiões como dos Estados Unidos, Japão e Europa central (entre outros pontos) poderão mostrar uma forte procura sazonal para aquisição de diamantes.

Disse que a crise económica e financeira afectou, grandemente, o mercado com a redução do poder de compra, estando, neste momento, o sector à procura de melhores políticas para fazer face à situação.

Relativamente ao mercado interno, no que diz respeito à exploração e desenvolvimento do sector, Tiago Dias disse haver uma forte aposta do Governo no sentido de trabalhar, cada vez mais, na capacitação de quadros e melhoria dos recursos tecnológicos.

A empresa diamantífera estima que Angola passe para terceiro maior produtor mundial em 2010, com cerca de 19 milhões de quilates/ano, face aos 10 milhões de 2007.

Assuntos Província » Luanda  

Leia também
  • 26/05/2014 18:51:03

    Angola: Ministério da Energia e Água investe USD 23 mil milhões

    Luanda - O Ministério da Energia e Água investiu 23 mil milhões de dólares (um dólar vale 100kwanzas) para melhorar a rede de transporte e distribuição de energia eléctrica, disse hoje, em Luanda, o secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva.

  • 26/05/2014 18:46:12

    Angola: Porto Mineiro de Lobito melhora ambiente de investimentos

    Luanda - O Porto Mineiro de Lobito e a futura linha férrea do Lobito (Benguela) vão melhorar o negócio e o ambiente de investimento regional, admitiu hoje, em Luanda, a presidente do Conselho de Administração da Agência Nacional para o Investimento Privado (ANIP), Maria Luísa Abrantes.

  • 26/05/2014 18:40:23

    Angola: BM quer apoiar Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-2017

    Luanda - O Banco Mundial (BM) perspectiva disponibilizar a Angola um bilião de dólares para apoiar o Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-2017, admitiu hoje, segunda-feira, em Luanda, o director das operações para Angola do grupo BM, Gregor Binkert.

  • 26/05/2014 18:36:36

    Angola: Programa Angola Investe financia pequenas empresas

    Luanda - O Programa Angola Investe permite que as micro, pequenas e médias empresas, tenham acesso a financiamentos bancários com baixos custos financeiro, através de juros bonificados e com garantias públicas, disse hoje, em Luanda, a secretária de Estado da Economia, Laura Alcantra Monteiro.