Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

06 Agosto de 2009 | 16h25 - Atualizado em 06 Agosto de 2009 | 16h20

Pequenas e médias empresas são vantajosas para o desenvolvimento de Angola

Economia

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda - O director provincial da Indústria, Carlos Botelho Vasconcelos, afirmou hoje (quinta-feira), em Luanda, que as pequenas e médias empresas têm mais vantagens para o desenvolvimento da economia nacional em relação as grandes empresas.

Em entrevista à Angop, Carlos Vasconcelos explicou que este segmento da economia não necessita de capitais avultados, possui poucos meios materiais, mas, em contrapartida cria mais empregos e outros serviços.

 A fonte informou que, neste momento, o Governo está a trabalhar no sentido de criar novas empresas ligadas a distintos ramos de actividade.

Sublinhou que muitas propostas têm sido recebidas de empresários nacionais e estrangeiros (portugueses) para a concessão de espaços e licenciamentos para realização da actividade industrial.

Essas propostas, adiantou, estão ligadas às áreas de carpintaria, serralharia, marcenaria, mobiliário e decoração, construção de blocos e formação de operários.

Carlos Vasconcelos é de opinião que para se atingir os objectivos definidos na política industrial, o Governo deve fomentar o sistema de apoio ao empresariado, em especial as (pequenas e médias empresas), promover o investimento privado nacional, prestar assistência técnica, facilitar mecanismos de financiamento adequados e eficientes.

Informou que o Governo tem vindo a conceber programas para a reindustrialização da província de Luanda, pondo a disposição do sector empresarial incentivos, infra-estruturas básicas, como solo industrial, água, energia eléctrica e telecomunicações.

A título de exemplo, referiu-se ao apoio prestado à indústria de panificação que possibilitou a criação, até agora, de 600 unidades panificadoras em Luanda.

"Isto tudo traduz-se no esforço das pequenas e médias empresas", disse.

O responsável frisou ainda que as PME são importantes para o engrandecimento da indústria nacional e contribuem para o desenvolvimento da economia do país através da geração de riqueza.

O apoio a este segmento, disse, vai ajudar na redução das importações e na criação de mais postos de trabalho.

"Neste sector, é essencial o apoio do Governo sobretudo no domínio das infra-estruturas, energia e água" referiu.

Assuntos Província » Luanda  

Leia também
  • 22/08/2013 21:47:47

    Comissão Económica aprova proposta de gestão do espaço aéreo civil

    Segundo o comunicado final da 7ª sessão extraordinária da Comissão Económica, a proposta tem por objectivo melhorar o controlo do tráfego aéreo, eliminando os riscos para a navegação aérea civil no espaço aéreo nacional, nomeadamente nas Regiões de Informação do Voo Continental e do Voo ...

  • 22/08/2013 17:37:33

    Assomicro forma membros para fomento do primeiro emprego

    Em declarações hoje à Angop, o presidente da referida associação, Carlos da Gama, disse que os promotores de micro e pequenas empresas estão a ser formados em matérias sobre como abrir uma empresa e a sua gestão. Salientou que a juventude tem sido a grande afectada pela falta de oportunidade ou ...

  • 20/08/2013 20:50:49

    Ministro da Geologia e Minas recebe investidores do Koweit

    Segundo uma nota de imprensa do ministério chegado hoje à Angop, o grupo, que prevê cumprir um vasto calendário trabalho, manifestou o interesse em financiar vários projectos de desenvolvimento. Deste modo, o AIDCO vai manter encontros com o vice- presidente da República, Manuel ...

  • 20/08/2013 12:01:07

    Crescimento económico garante mais investimento directo ao país

    Em declarações à Angop, sobre o Investimento Estrangeiro Directo em Angola, Manuel Lourenço afirmou ser necessário que o país mantenha a posta na concessão de incentivos fiscais e na criação de infra-estruturas. Esse tipo de investimento, prosseguiu, é fundamental porque os recursos entram no ...