Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

06 Agosto de 2009 | 16h25 - Actualizado em 06 Agosto de 2009 | 16h20

Pequenas e médias empresas são vantajosas para o desenvolvimento de Angola

Economia

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda - O director provincial da Indústria, Carlos Botelho Vasconcelos, afirmou hoje (quinta-feira), em Luanda, que as pequenas e médias empresas têm mais vantagens para o desenvolvimento da economia nacional em relação as grandes empresas.

Em entrevista à Angop, Carlos Vasconcelos explicou que este segmento da economia não necessita de capitais avultados, possui poucos meios materiais, mas, em contrapartida cria mais empregos e outros serviços.

 A fonte informou que, neste momento, o Governo está a trabalhar no sentido de criar novas empresas ligadas a distintos ramos de actividade.

Sublinhou que muitas propostas têm sido recebidas de empresários nacionais e estrangeiros (portugueses) para a concessão de espaços e licenciamentos para realização da actividade industrial.

Essas propostas, adiantou, estão ligadas às áreas de carpintaria, serralharia, marcenaria, mobiliário e decoração, construção de blocos e formação de operários.

Carlos Vasconcelos é de opinião que para se atingir os objectivos definidos na política industrial, o Governo deve fomentar o sistema de apoio ao empresariado, em especial as (pequenas e médias empresas), promover o investimento privado nacional, prestar assistência técnica, facilitar mecanismos de financiamento adequados e eficientes.

Informou que o Governo tem vindo a conceber programas para a reindustrialização da província de Luanda, pondo a disposição do sector empresarial incentivos, infra-estruturas básicas, como solo industrial, água, energia eléctrica e telecomunicações.

A título de exemplo, referiu-se ao apoio prestado à indústria de panificação que possibilitou a criação, até agora, de 600 unidades panificadoras em Luanda.

"Isto tudo traduz-se no esforço das pequenas e médias empresas", disse.

O responsável frisou ainda que as PME são importantes para o engrandecimento da indústria nacional e contribuem para o desenvolvimento da economia do país através da geração de riqueza.

O apoio a este segmento, disse, vai ajudar na redução das importações e na criação de mais postos de trabalho.

"Neste sector, é essencial o apoio do Governo sobretudo no domínio das infra-estruturas, energia e água" referiu.

Assuntos Província » Luanda  

Leia também
  • 20/01/2015 18:44:46

    Angola está preparada para responder ao "Choque Petrolífero" - Deutsche Bank

    Luanda - A unidade de análise económica do Deutsche Bank, da Alemanha, considera que Angola está mais bem preparada para responder ao choque petrolífero do que estava em 2008, mas alerta para a vulnerabilidade ao abrandamento da economia chinesa.

  • 20/01/2015 16:26:56

    Cunene: Membros da Unaca reunidos em assembleia

    Ondjiva - Os associados da União dos Camponeses Angolanos (Unaca) na província do Cunene estão reunidos desde hoje, terça-feira, em ondjiva, em assembleia-geral de balanço, com a finalidade de reforçar as actividades da organização junto dos membros.

  • 20/01/2015 15:47:57

    Angola: FACRA realiza quinta-feira fórum sobre investimentos

    Luanda - O Fundo Activo de Capital de Risco Angolano (FACRA) realiza quinta-feira, 22, em Luanda, um fórum de negócios denominado "Dia do FACRA", com o objectivo de reforçar o compromisso do Executivo, em estimular o fortalecimento do tecido empresarial angolano.

  • 19/01/2015 14:37:13

    Angola: CMC vai aumentar volume de informação sobre literacia financeira

    Luanda - A Comissão de Mercado de Capitais (CMC) vai dinamizar um programa sobre literacia e inclusão financeira com o objectivo de proporcionar aos cidadãos informações sobre como lidar com as finanças pessoais e investir na Bolsa de Valores, disse hoje, segunda-feira, a directora do Gabinete de Literacia Financeira, Elsa Bárber.