Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Economia

16 Fevereiro de 2005 | 17h03

Nota de 2000 Kwanzas entra no circuito financeiro

Luanda

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda, 16/02 - A nota de valor facial de dois mil kwanzas, injectada hoje no circuito financeiro e económico angolano, vai facilitar as operações comerciais no mercado interno, bem como diminuirá ainda mais o volume de cédulas nas transacções comerciais, sustentaram alguns economistas contactados pela Angop.

Justino Pinto de Andrade, economista e director da Faculdade de Economia da Universidade Católica de Angola, acha que a inserção desta nota constitui uma decisão positiva, na medida em que irá facilitar as transacções económicas e aliviar o cidadão na transportação da moeda. "Na banca irá agilizar as operações com os seus clientes", frisou.

Na sua óptica, não haverá repercussões negativas, pois "não é injecção de mais moeda, mas a substituição de notas pequenas por uma de maior valor facial sem que esta leve à inflação", sublinhou.

Por seu turno, o economista Mário Silva disse que a nova nota irá facilitar as operações comerciais e possibilitará a circulação do dinheiro junto da população no sentido de reduzir o volume de notas. Para ele, isto não se traduzirá em nenhuma repercussão na inflação ou subida dos preços.

Já Alberto Rosa, profissional da mesma área, disse que a nota de valor facial de 2000 Kwanzas facilitará os trocos. Acrescentou que só haverá desvantagens se a emissão das novas notas for efectuada no vazio e sem contrapartida de bens e serviços, para que não haja mais dinheiro do que aquilo que este possa comprar.

Para o sociólogo Víctor de Carvalho, a medida é positiva, pois irá facilitar as pessoas no seu procedimento em relação ao pagamento. A única desvantagem traduz-se na repercussão que esta medida poderá levar a uma tendência num ligeiro aumento dos preços.

O funcionário público João Nguengo, por sua vez, afirma que a entrada em vigor da nova nota é uma forma de poder ajudar a população a reduzir o volume de notas e facilitar as transacções comerciais, pelo que não deve constituir espanto para a população.

A medida de injecção, no mercado, da nova cédula monetária consta do Programa Económico e Social do Governo, relativamente à estabilização da moeda nacional.

A nota traz na parte frontal duas efigies ligeiramente sobrepostas em dois planos, respectivamente a do fundador da Nação, Agostinho Neto, e a do Presidente da República, José Eduardo dos Santos.

Na face das efigies está a inscrição "A Vitoria é Certa" ladeada dos nomes José Eduardo dos Santos e Agostinho Neto, ornamentada com folhas.

A numeração tipográfica é constituída por um elemento, alfa numérico, impresso a preto com duas letras e sete dígitos com a seguinte disposição numérica: no ângulo superior esquerdo com 3 MM de altura; a numeração no ângulo inferior direito com 3,23MM de altura.

A nota tem impressa a figura do pensador, símbolo da cultura nacional. É de cor verde e tem a dimensão de 166 milímetros por 66 milímetros. Tem igualmente incorporado um fio de segurança personalizado na massa do papel.

Na óptica do Governo, a entrada em circulação de notas de maior valor facial não irá provocar distúrbios na economia, porque a base monetária vai manter-se constante, quer dizer, a massa monetária em circulação não será alterada. Não se trata de uma operação de troca de moeda, mas, simplesmente o lançamento de uma nova nota que vai integrar o grupo das já existentes no circuito financeiro e económico do país.

O último lançamento de notas de maior valor facial (200, 500 e 1000 Kwanzas) verificou-se em 19 de Julho de 2004.

Nos próximos tempos, o Banco Nacional de Angola poderá colocar ainda em circulação notas de 5 e 10 mil Kwanzas, respectivamente.