Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Desporto

06 Agosto de 2012 | 18h12 - Actualizado em 07 Agosto de 2012 | 07h39

Atletismo/Angolano mostra-se optimista quanto ao futuro

Londres2012

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Atleta Manuel António optimista quanto ao seu futuro

Foto: ANGOP

Londres ( Dos enviados especiais) – O meio-fundista angolano Manuel António, que hoje terminou em sétimo na sua série dos 800 metros dos Jogos Olímpicos de Londres, com 1:52:54, mostrou-se optimista quanto ao futuro, apesar de não ter atingido o seu objectivo de melhorar a marca pessoal.

Em entrevista à Angop, Manuel António lamentou não ter conseguido melhorar seu recorde pessoal (1:50), mas considerou, ainda assim, positiva a estreia absoluta em jogos olímpicos apoiando-se nas circunstâncias da corrida.

“Não deu para melhorar a marca, uma vez que corri com atletas muito potentes. Logo após a partida começaram a decidir. Então ficou mais difícil para o meu lado, porque temos uma cadencia menos elevada em relação a eles, que são do nível 1 da Federação Internacional de Atletismo FIAA)”, disse o atleta de 23 anos.

“Considero positiva a minha participação, por ser a primeira vez nos jogos olímpicos”, afirmou, antes de evocar os ganhos que teve com a corrida.

“Permitiu tirar ilações daquilo que são as grandes competições a nível do mundo. Esta prova apareceu numa boa hora para começarmos a ver em que ponto devemos incidir mais o nosso trabalho para que em próximas competições apareçamos já com mínimos que são pedidos pela Federação internacional”.

Entre os factores que admite terem influído na sua prova admitiu, alem da qualidade dos

adversários, uma cerca falta de concentração.

“Não deu para mostrar tudo que tenho trabalhado.. Acredito que também (que terá faltado) um pouco de concentração: a primeira vez eh difícil”.

Entretanto, mostrou-se confiante no futuro ao afirmar: “Mas não é com isso que devemos desmoralizar. Vamos continuar a trabalhar”.

Manuel António reconfortou-se referindo que na classificação geral, apareceu “muito bem” porque muitos outros atletas de referência nos respectivos países ficaram atrás de si. “O meu descontentamento eh não ter melhorado a marca, senão o resto foi tudo bem. Esperemos para próxima vez”, rematou.