Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

12 Maio de 2012 | 07h50 - Actualizado em 12 Maio de 2012 | 07h50

Comemora-se hoje o Dia Mundial das Aves Migratórias

Efeméride

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Luanda – Comemora-se hoje e domingo o Dia Mundial das Aves Migratórias, celebrado anualmente desde 2006 por iniciativa do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA.

A efeméride, que se comemora no segundo fim-de-semana do mês de Maio, tem como objectivo conscientizar a população sobre a importância da sua protecção e dos seus hábitats. As aves migratórias são ameaçadas pela mudança no uso da terra, mudanças climáticas, caça e poluição.

O lema deste ano é "As aves migratórias e a gente: juntos através do tempo", com o fim de dar a conhecer a estreita relação entre as aves e as diferentes culturas, assim como a interdependência e a sua importância na cultura, economia e ciência.

Segundo o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), 12,4% (1.227) das 9.865 espécies de aves migratórias estão ameaçadas. Além disso, a ONU reporta que até 31 espécies se encontram na lista vermelha da União Mundial para Conservação da Natureza.

Entre elas aparecem o periquito-de-ventre-laranja (neophema chrysogaster), o maçarico-de-bico-fino (numenius tenuirostris), a íbis-eremita (geronticus eremita), o abibe-sociável (vanellus gregarius) e o albatroz-das-galápagos (phoebastria irrorata).

Esta diminuição, causada por mudanças ambientais, está a acontecer “em todos os principais corredores de migração que as aves utilizam para percorrer milhares de quilómetros entre os locais de nidificação e aqueles onde passam o Inverno”, explica o PNUA.

Actualmente, 41 porcento das 522 populações de aves aquáticas migratórias que percorrem itinerários que ligam a África e a Eurásia estão a registar diminuições. Além disso, o número de aves canoras migratórias que utilizam os mesmos corredores também está a diminuir.

“O número de aves das florestas boreais do Hemisfério Norte que migram do Norte do Canadá para a América do Sul apresenta uma diminuição acentuada porque estas aves estão a perder os locais de nidificação nas florestas”, informa o PNUA.

"As aves migratórias são das criaturas mais extraordinárias do planeta e, em muitos países, a observação de aves é uma actividade de lazer e turismo economicamente importante", disse Achim Steiner, Director Executivo do PNUA.

"Mas as aves migratórias são mais do que isso. A sua dependência de habitats e ecossistemas saudáveis significa que são importantes indicadores que permitem determinar se a comunidade internacional está verdadeiramente a tentar corrigir o declínio e erosão do património natural do planeta".