Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » Ambiente

26 Janeiro de 2012 | 14h27 - Actualizado em 27 Janeiro de 2012 | 10h52

Pensamento estratégico de Neto deu dimensão de equilíbrio da biodiversidade

Ambiente

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Ministra Fátima Jardim

Foto: Angop

  

Luanda  -   A ministra do  Ambiente, Maria de Fátima Jardim,  considerou  quinta-feira,  no município de Catete (Bengo),  que  o pensamento  ambiental de Agostinho Neto deu  dimensão a  importância  do equilíbrio  da biodiversidade  e  desenvolvimento  económico  sustentável de  Angola.

“Agostinho Neto, ao promover as primeiras jornadas  da Conservação da Natureza  em Janeiro de  1976, um mês  e meio depois da  independência, considerou a  natureza como  uma dádiva pertença  legítima  do povo angolano que deve  ser  utilizada  de forma  racional  para o aproveitamento  comum  dos cidadãos”,  lembrou  a ministra do  Ambiente.

Falando  na cerimónia de abertura  do workshop  sobre “O Pensamento Ambiental Sustentável de Agostinho Neto”,  disse que  na altura o primeiro presidente de Angola  sustentou  nas jornadas  a pluralidade  de intervenção quando dialogava com os  profissionais, quadros académicos  e cidadãos, uma  acção  que levou a criação da  primeira  associação angolana  do Ambiente.

No quadro do pensamento  de  Agostinho Neto,  a  governante  realçou  que  o Governo  Angolano  está  a desenvolver  acções que  contribuem  para a redução  da pobreza,  melhoria  dos  indicadores  sociais  e ambientais,  num programa liderado pelo Presidente da Republica,  José  Eduardo  dos Santos.

O  desenvolvimento, sustentabilidade e competitividade, para Fátima Jardim,  continuam  a ser vistos  como  objectivos  prioritários  indissociáveis as várias iniciativas ambientais e não só.

A protecção ambiental, seguiu,  é uma abordagem  reactiva  no  sentido   de se remediar  e mitigar  os  efeitos  nefastos  ao  ambiente, causados pela alterações  climáticas.

Convicta, disse  que a integração do  Ambiente  em todos os programas  de  acção  do Governo trará  políticas  de sustentabilidade, enquanto os requisitos  legais  já aprovados   e outros  que  se encontram no pacote  legislativo do Governo serão  condição para a  realização  de investimentos.

Para o  período  2012 a 2017  e  no  quadro do  programa de  sustentabilidade  que  está  a ser  realizado  com  base  no relatório do  Estado  do Ambiente, o  sector  poderá  incluir  na  agenda nacional questões relacionadas com  a recuperação de áreas  degradadas, avaliação  e auditoria  ambientais e outras  iniciativas.

“O Presidente  da República, José  Eduardo  dos Santos,  tem  também enfatizado o compromisso  com o ambiente  e orienta  nos desafios  que se apresentam  como oportunidades  de todos  contribuirmos  para as  aspirações  de uma  governação  de progresso  dignidade  e solidariedade”,  enalteceu  Fátima  Jardim.

Mesmo  com  os problemas ainda  registados  em  torno  do ambiente,  como  desmatamento, queima  de árvores para  prática da agricultura, caça furtiva e outras ameaças, a ministra do  Ambiente  disse que  se  regista  uma  melhoria  da qualidade  ambiental e  o aumento  dos  compromissos  assumidos  a nível  internacional.

No  workshop sobre “O Pensamento  Ambiental  Sustentável de  Agostinho  Neto”, estão presentes membros do Executivo,  da  Fundação Agostinho  Neto,   deputados  à Assembleia Nacional, ambientalistas e ecologistas, bem como autoridades tradicionais e  religiosas.

O  certame   realizado  em  prol do 90º  aniversário natalício do primeiro presidente de Angola,   Agostinho  Neto,  que será celebrado este ano (17 de Stembro),  e do 31 de  Janeiro, Dia Nacional  do Ambiente,   decorre  no Centro  Cultural de  Catete.