Angop - Agência de Notícias Angola PressAngop - Agência de Notícias Angola Press

Ir para página inicial
Luanda

Max:

Min:

Página Inicial » Notícias » África

27 Agosto de 2013 | 17h50 - Atualizado em 27 Agosto de 2013 | 17h50

Hollande apela ONU e UA a controlar a situação

O presidente francês François Hollande apelou nesta terça-feira a ONU e a União africana ?a controlar a situação? na RCA , país à beira de uma somalização? onde 60.000 crianças correm o risco de morrer de malnutrição e que afectam um milhão e meio de deslocados.

Envia por email

Para compartilhar esta notícia por email, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Corrigir

Para reportar erros nos textos das matérias publicadas, preencha os dados abaixo e clique em Enviar

Bandeira da República Centro Africana

Foto: Angop

“Apelo à União africana e ao Conselho de segurança para aproveitarem essa situação. A França os ajudará “, declarou o chefe de Estado, durante um discurso sobre política estrangeira perante os embaixadores franceses reunidos em Paris.

“É tempo de intervir nesse país que atravessa uma grave crise política e humanitária, insistiu o presidente.

Desde a queda do governo de François Bozizé, derrubado a 24 Março pela coligação rebelde  do Séléka, o país vive num clima de insegurança generalizada, com exacções contra a população perpetrada por combatentes saídos da ex – rebelião.                        

 "Esse país está à beira da somalização. (…)  O balanço é impressionante: 60.000 crianças correm o risco de morrer de malnutrição. Um milho e meio de habitantes dos 5 milhões são deslocados”, prosseguiu François Hollande , recordando que havia recebido a semana passada representantes de ONG engajadas na RCA.

Segundo a ministra francesa da Francofonia , Yamina Benguigui, uma reunião internacional sobre a RCentro - africana poderá ter lugar à margem da Assembleia geral das Nações unidas no fim de Setembro em Nova Iorque.

Leia também
  • 23/08/2013 11:07:13

    RCA: Presidente Djotodia nomeia um novo ministro da Segurança

    Segundo o documento, o general Mahamat Nouradine Adam - dirigente da coligação Séléka, que tomou o poder em Bangui à 24 de Março - é nomeado "director geral do Comité extraordinário da defesa das conquistas da democracia, com a cetegoria e prerogativas de ministro de Estado". Josué Binoua, até ...